Dizeres sobre mulheres

um olhar discursivo sobre/para o corpo gordo-negro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/HTP-v3n2-2021-61786

Palavras-chave:

Discurso, Corpo gordo, Mulher negra

Resumo

Considerando que há, atualmente, um culto ao corpo tido como “ideal” (leia-se magro), procuramos refletir, neste estudo, sobre o padrão corporal imposto à mulher. Nesse cenário, destacamos a mulher negra e gorda, pois entendemos que esse sujeito encontra em sua forma física mais um meio de preconceito e discriminação. Assim sendo, objetivamos analisar, a partir do aporte teórico-metodológico da Análise de Discurso de orientação francesa, como os sujeito-mulher e os seus corpos são atravessados, de modo incisivo, pelos ditames de uma sociedade patriarcal e capitalista. Para isso, recortamos, como corpus, enunciados presentes no curta-metragem “Gorda”, disponível no YouTube, uma vez que se parte do princípio de que os dizeres que lá circulam, ainda que tentem romper com os paradigmas do corpo “perfeito”, revelam dificuldade de aceitação. Assim, entendemos que esses discursos mais reafirmam do que rompem barreiras para a “quebra” de padrões. Diante disso, os conceitos de Ideologia, Condições de Produção, Formação Discursiva, Formação Ideológica e Memória Discursiva foram mobilizados para ancorar teoricamente a discussão, pois compreendemos que, por meio deles, é possível perceber como os valores socioculturalmente instituídos são (re)produzidos discursivamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Picagevicz, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Doutoranda e bolsista CAPES pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Mestra em Letras por esta mesma instituição de ensino. Graduada em Letras pela Faculdade Assis Gurgacz.

Andriele de Chaves Bortolin, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Doutoranda em Letras pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Mestra e graduada em Letras pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO).

Isabela Karolina Gomes Ferreira Oliveira, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Doutoranda e bolsista CAPES pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). Mestra e graduada em Letras por esta mesma instituição de ensino.

Referências

BERTH, Joice. Empoderamento. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

BRAGA, Amanda. Retratos em preto e branco: discursos, corpos e imagens em uma história da beleza negra no Brasil. 2013. 239f. Tese (Doutorado em Letras), Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2013.

FERREIRA, Maria Cristina Leandro. O corpo como materialidade discursiva. Redisco, Vitória da Conquista, v. 2, n. 1, p. 77-82, 2013. Disponível em: <https://periodicos2.uesb.br/index.php/redisco/article/view/2697/2242>. Acesso em: 15 abr. 2021.

FRANÇA, Glória da Ressurreição Abreu. Gênero, raça e colonização: a brasilidade no olhar do discurso turístico no Brasil e na França. 2018. 363f. Tese (Doutorado em Linguística), Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

INDURSKY, Freda. A fala dos quartéis e as outras vozes. 2 ed., Campinas: Editora da UNICAMP, 2013.

JIMENEZ-JIMENEZ, Maria Luiza. Lute como uma gorda: gordofobia, resistência e ativismo. 2020. 237f. Tese (Doutorado em estudos da cultura contemporânea), Faculdade de Comunicação e Arte, Universidade Federal do Mato Grosso, Cuiabá, 2020.

MUNANGA, Kabengele; GOMES, Nilma Lino. A resistência negra: das revoltas ao movimento negro contemporâneo. In: MUNANGA, K.; GOMES, N. L. O negro no Brasil de Hoje. São Paulo: Global, 2006, p. 107-133

NOVAES, Joana de Vilhena. O intolerável peso da feiura: sobre as mulheres e seus corpos. Rio de Janeiro: PUC Rio; Garamond, 2013.

NOVAES, Joana de Vilhena; VILHENA, Junia de. Da Cinderela a Moura torta: sobre a mulher, beleza e feiura. Interações, v. VIII, n. 15, p. 9-36, 2003. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S141329072003000100002&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 20 nov. 2020.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Efeitos do verbal sobre o não-verbal. RUA, Campinas, SP, v. 1, n. 1, p. 35–47, 2005. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rua/article/view/8638914>. Acesso em: 20 nov. 2020. DOI: https://doi.org/10.20396/rua.v1i1.8638914

ORLANDI, Eni Puccineli. Discurso em análise: sujeito, sentido, ideologia. 2 ed., Campinas: Pontes, 2012.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de Discurso: Princípios e Procedimentos. Campinas: Pontes, 2015.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de Discurso. In: LAGAZZI-RODRIGUES, S.; ORLANDI, E. P. (Orgs.). Discurso e textualidade. Campinas: Pontes, 2006.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e Discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Tradução Eni Puccinelli Orlandi et al. Campinas: Editora da UNICAMP, 2014.

PÊCHEUX, Michel. Papel da memória. In: ACHARD, P. et al. Papel da memória. Tradução José Horta Nunes. 3 ed. Campinas: Pontes, 2020, p. 45-53.

PÊCHEUX, Michel; FUCHS, Catherine. A propósito da Análise Automática do Discurso: atualizações e Perspectivas (1975). In: GADET, F.; HAK, T.. Por uma análise automática do discurso: uma introdução a obra de Michel Pêcheux. Tradução Bethânia Mariani et al. 3 ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 1997, p. 163-252.

POULAIN, Jean-Pierre. Sociologia da Obesidade. Tradução Cecília Padra. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2013.

RIBEIRO, Luiza Santos Junqueira. Gorda. Publicado no canal Tá Querida. 2016. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=PVozftI7Ebs&list=PLeNMiYLFbSJ4umia5nIO9rVUprvPpuzxB&index=2&t=0s>. Acesso em: 20 jun. 2020.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala?. Belo Horizonte: Letramento, 2017.

ROMÃO, Lucília Maria Sousa. O discurso sobre a mídia nos entremeios da narrativa de Saramago. Cadernos de Ciências humanas – Especiaria, v. 10, n. 17, p. 215-245, jan.-jun. 2007. Disponível em: <https://periodicos.uesc.br/index.php/especiaria/article/view/867>. Acesso em: 25 nov. 2020.

SANT'ANNA, Denise Bernuzzi de. Descobrir o corpo: uma história sem fim. Educação e Realidade, v. 25, n. 2, p. 49-58, 2000. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/46832>. Acesso em: 10 nov. 2020.

SANT’ANNA, Denise Bernuzzi de. É possível realizar uma história do corpo? In: SOARES, Carmen (Org.). Corpo e História. 3 ed. Campinas: Autores Associados, 2006, p. 3-23.

SOUZA, Natália de Lima. Ethos e negritude: cabelo e corpo como símbolos de identidade e autoestima de mulheres afrodescendentes. 2018. 80f. Dissertação (Mestrado em Letras), Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018.

SOUZA, Auraci de Fátima da Costa. O percurso dos sentidos sobre a beleza através dos séculos: uma análise discursiva. 2004. 224f. Dissertação (Mestrado em Linguística), Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, 2004.

WOLF, Naomi. O mito da Beleza: como as imagens de beleza são usadas contra as mulheres. Tradução W. Barcellos. 11 ed. Rio de Janeiro: Rosas dos Tempos, 2020.

Downloads

Publicado

2021-11-10

Como Citar

PICAGEVICZ, A. P.; DE CHAVES BORTOLIN , A.; GOMES FERREIRA OLIVEIRA, I. K. . Dizeres sobre mulheres: um olhar discursivo sobre/para o corpo gordo-negro. Revista Heterotópica, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 4–25, 2021. DOI: 10.14393/HTP-v3n2-2021-61786. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/RevistaHeterotopica/article/view/61786. Acesso em: 19 maio. 2022.