Um Ensaio sobre os Aspectos Teóricos e Metodológicos da Economia da Pobreza

Autores

  • Ricardo Agostini Martini IPC-IG/UNDP

Resumo

A pobreza, na economia do bem-estar, é entendida como uma situação de privação de bens. Por um lado, a pobreza pode ser entendida de maneira inteiramente relacionada com a privação de renda. Essa abordagem tem a vantagem de permitir uma mensuração de acordo com critérios já consolidados na pesquisa, pela definição de linhas de pobreza que indicam o nível mínimo de renda para que os indivíduos possam satisfazer suas necessidades básicas. Contudo, a definição dessas necessidades sempre envolve algum grau de subjetividade, além de que elas podem variar substancialmente entre diferentes sociedades. Assim, mais recentemente desenvolveu-se uma abordagem multidimensional para tratar da pobreza. Nessa visão, o bem-estar é associado à aquisição de capacidades, que se referem a uma multidimensionalidade de fatores relacionados ao bem-estar. Todavia, sua mensuração envolve a definição de indicadores complexos, ainda não totalmente consensuais pela bibliografia. O presente ensaio procura identificar as contribuições, vantagens e limitações de cada uma dessas vertentes teóricas e metodológicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Agostini Martini, IPC-IG/UNDP

Pesquisador associado do International Policy Centre for Inclusive Growth (IPC-IG), órgao ligado ao Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Mestre em Economia pelo CEDEPLAR-UFMG e bacharel em Ciências Econômicas pela UFRGS.

Downloads

Publicado

2011-10-21

Edição

Seção

Artigos