Eficiência técnica da Atenção Primária à Saúde (APS) nos municípios de Minas Gerais (2015-2019)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v38n2a2023-61223

Palavras-chave:

Eficiência, Saúde, DEA, Regressão Quantílica

Resumo

Este estudo analisou a eficiência da Atenção Primária à Saúde (APS) em Minas Gerais, entre 2015 e 2019. Para isso, foram construídos índices de desempenho por meio da técnica Data Envelopment Analysis (DEA). Na sequência, estimaram-se diferentes modelos de regressão quantílica a fim de examinar a possível relação do indicador com a situação socioeconômica das regiões. Os resultados revelaram que 38,5% da amostra apresentou máximo desempenho. Além disso, verificou-se que os principais elementos externos relacionados com a eficiência foram o fato de o município ser um polo de saúde, a proporção de analfabetos, idosos e de atendidos por rede de esgoto, bem como a quantidade relativa de quadras esportivas. Por outro lado, percebeu-se que a maior parte da eficiência da APS está associada com a gestão local da saúde. O estudo concluiu que a APS deve ter como foco a melhoria da atenção à gestante, da cobertura vacinal e dos programas de proteção à família, principalmente nas regiões mais populosas e desenvolvidas do estado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-09-21

Como Citar

COSTA SOARES, T.; BARRETO DA CUNHA, L. Eficiência técnica da Atenção Primária à Saúde (APS) nos municípios de Minas Gerais (2015-2019) . Revista Economia Ensaios, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, v. 38, n. 2, 2023. DOI: 10.14393/REE-v38n2a2023-61223. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/61223. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos