A inserção do Brasil no mercado mundial de bens ambientais: uma comparação entre as listas da OCDE e da APEC

Autores

  • Stela Luiza de Mattos Ansanelli UNESP
  • Matheus Gongalves Cintrão UNESP

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v34n1a2019-41817

Resumo

O objetivo deste trabalho é investigar a inserção comercial do Brasil no mercado mundial de bens ambientais comparando as listas da Organização para a cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) de 2001 a 2016, por meio do cálculo do Índice de Vantagens
Comparativas Reveladas (IVCR), classificação de intensidade tecnológica e Cálculo do Índice de Comércio Intraindústria (CII). Como resultados, observou-se que o Brasil desfrutou de maiores vantagens relativas, com destaque para o etanol, e obteve o maior número de produtos com elevada intensidade tecnológica, mais pela lista da OCDE do que da APEC. Notou-se também que o Brasil realizou comércio interindustrial para todos os produtos com maiores IVCRs pela lista da OCDE. Tais resultados ressaltam os benefícios comerciais do etanol e apontam que uma liberalização via lista OCDE pode tornar o país especializado na exportação de bens com maiores IVCRs e na importação de bens com baixas vantagens, favorecendo a entrada de novas tecnologias ambientais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Stela Luiza de Mattos Ansanelli, UNESP

Professora Doutora do Departamento de Economia - UNESP

Matheus Gongalves Cintrão, UNESP

Graduação

Downloads

Publicado

2019-12-20

Como Citar

ANSANELLI, S. L. de M.; CINTRÃO, M. G. A inserção do Brasil no mercado mundial de bens ambientais: uma comparação entre as listas da OCDE e da APEC. Revista Economia Ensaios, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, v. 34, n. 1, 2019. DOI: 10.14393/REE-v34n1a2019-41817. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/41817. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos