Convergência de renda e seus determinantes: uma ênfase na qualidade e na quantidade do capital humano dos municípios brasileiros

Autores

  • Joana Darc Kampa Pelinski Honesko
  • Augusta Pelinski Raiher

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v33n1a2018-39086

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar o efeito do capital humano – tanto quantitativo como qualitativo – no processo de crescimento da renda per capita dos municípios brasileiros nos anos 2000, testando a hipótese de convergência de renda. Para isso, além de se construir uma proxy quantitativa para o capital humano (escolaridade média do trabalhador), ponderou-a pela qualidade, média do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) longevidade com o IDH conhecimento. Na sequência, por meio da econometria espacial, testou-se os impactos da qualidade e da quantidade de capital humano no crescimento da renda per capita dos municípios brasileiros, reestimando para grupos de municípios (Norte/Nordeste versus Sul/Sudeste/Centro-Oeste). Como corolário, aqueles municípios que detinham uma renda menor no período inicial tenderam a ter um ritmo de crescimento subsequente maior, relação que se apresentou mais intensa quando se usou a qualidade como medida do capital humano. Ao mesmo tempo, a dinâmica do crescimento econômico tendeu a ser mais intensa quanto maior o estoque qualitativo e quantitativo do capital humano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joana Darc Kampa Pelinski Honesko

Graduada em Economia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Augusta Pelinski Raiher

Doutora em Economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professora do programa de pós graduação em economia, do programa de pós graduação em ciênciais sociais aplicadas e do curso de economia da Universidade Estadual de Ponta Grossa

Downloads

Publicado

2019-06-04

Edição

Seção

Artigos