O princípio da demanda efetiva de Keynes como contra-ataque definitivo à Lei de Say dos economistas (neo)clássicos

Autores

  • André Cutrim Carvalho Docente da Faculdade de Ciências Econômicas (FACECON) e do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia (PPGEDAM) da Universidade Federal do Pará (UFPA); e, também, Professor Visitante do Instituto de Economia (IE) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). http://orcid.org/0000-0002-0936-9424
  • David Ferreira Carvalho Docente da Faculdade de Ciências Econômicas (FACECON), vinculada ao Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA), da Universidade Federal do Pará (UFPA)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v32n2a2018-9

Resumo

Na Teoria Geral, Keynes apresentou o seu entendimento sobre o Princípio da Demanda Efetiva. Para isso, ele desenvolveu uma nova taxonomia conceitual, o que trouxe dificuldades para a compreensão da nova mensagem contida na sua obra, sobretudo para aqueles economistas formados na tradição da ortodoxia (neo)clássica. Portanto, o objetivo fundamental do presente artigo é apresentar o Princípio da Demanda Efetiva de Keynes como contra-ataque definitivo à Lei de Say dos economistas (neo)clássicos. A verdadeira prova da validade da Teoria Geral não é a lógica nem os fatos, mas sim a utilidade da sua aplicação no mundo real em que vivemos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Cutrim Carvalho, Docente da Faculdade de Ciências Econômicas (FACECON) e do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia (PPGEDAM) da Universidade Federal do Pará (UFPA); e, também, Professor Visitante do Instituto de Economia (IE) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

Doutor em Desenvolvimento Econômico e Pós-Doutor em Economia pelo Instituto de Economia (IE) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

David Ferreira Carvalho, Docente da Faculdade de Ciências Econômicas (FACECON), vinculada ao Instituto de Ciências Sociais Aplicadas (ICSA), da Universidade Federal do Pará (UFPA)

Doutor e Pós-Doutor em Economia pelo Instituto de Economia (IE) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Downloads

Publicado

2018-08-13

Edição

Seção

Artigos