Determinantes do crime nos municípios de Minas Gerais e seus possíveis spillovers espaciais

Autores

  • Carlos Eduardo Gomes Doutorando pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Econômicas (PCE).
  • Thamirys Figueredo Evangelista Mestre pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Econômicas (PCE).
  • Renata Lemos Lima Mestre pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Econômicas (PCE).
  • José Luiz Parré Professor Titular do Departamento de Economia (DCO) e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Econômicas (PCE) da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v31n2a2017-9

Resumo

O presente trabalho explora o fenômeno da criminalidade nos municípios mineiros no ano de 2010. Acreditando que esse fenômeno não está distribuído aleatoriamente no espaço, podendo apresentar dependência e heterogeneidade espacial, utilizou-se modelos de econometria espacial, a saber: SARMA e GWR. Os principais resultados indicaram que os crimes contra a pessoa tendem a ser mais frequentes em áreas economicamente menos desenvolvidas. Em contrapartida, crimes contra o patrimônio são mais comuns em regiões ricas, onde há alvos viáveis para os autores dos delitos. Com relação à população de 15 a 24 anos, constatou-se que a maior concentração da população dessa faixa etária em determinada região influencia positivamente a criminalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-10-27

Edição

Seção

Artigos