Confronto entre criminosos e vítimas com o uso de armas de fogo

Autores

  • Talita Egevardt de Castro Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
  • Felippe Clemente Universidade Federal de Viçosa
  • Viviani Silva Lírio Universidade Federal de Viçosa
  • Evandro Camargos Teixeira Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v31n2a2017-8

Resumo

A violência e a segurança têm se tornado uma das principais preocupações no Brasil e no mundo. Observa-se um aumento constante dos indicadores da violência, principalmente da taxa de homicídios com armas de fogo. Com isso, o objetivo central do trabalho é aplicar ao contexto brasileiro as diferentes simulações em Teoria dos Jogos de confronto entre criminoso e vítima, de acordo com os modelos teóricos de Oliveira (2011) e propor políticas públicas que maximizem o bem-estar e a segurança na sociedade. Os principais resultados mostram que, dada uma sociedade em que os indivíduos possuem habilidades iguais, ofertar armas e aumentar o custo de portá-las acima da remuneração da vítima inibe o crime. Já para uma sociedade com habilidades e comportamentos diferentes, o resultado implica em crimes com armas, sendo, portanto, difícil inferir sobre políticas públicas a respeito de armas e seus impactos na criminalidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Talita Egevardt de Castro, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Doutoranda em Economia Aplicada

Felippe Clemente, Universidade Federal de Viçosa

Doutorando em Economia Aplicada

Viviani Silva Lírio, Universidade Federal de Viçosa

Professor Associado do Departamento de Economia Rural

Evandro Camargos Teixeira, Universidade Federal de Viçosa

Professor Adjunto do Departamento de Economia Rural

Downloads

Publicado

2017-10-27

Edição

Seção

Artigos