O processo de acumulação na Economia Política Clássica: uma interpretação não convencional a partir da leitura dos ricos detalhes comumente inexplorados

Autores

  • André Luís Cabral de Lourenço Departamento de Economia/UFRN
  • Luziene Dantas de Macedo Departamento de Economia/UFRN
  • Márcia Maria de Oliveira Bezerra Departamento de Economia/UFRN
  • Marconi Gomes da Silva Departamento de Economia/UFRN
  • William Eufrásio Nunes Pereira Departamento de Economia/UFRN

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v29n2a2015-5

Resumo

O artigo visa tratar o processo de acumulação na economia clássica à luz da geopolítica do desenvolvimento. Sua hipótese é que uma leitura detalhada dos clássicos permite repor, sobretudo em seus aspectos normativos, algum nível de politização não considerada na sua parte convencionalmente mais difundida. Para tanto, três confrontos são centrais nas relações entre: i) Estado, comércio exterior e desenvolvimento; ii) lei de Say versus princípio da demanda efetiva; iii) crescimento econômico, distribuição de renda e a natureza como possível limite à acumulação. Busca-se em cada item captar detalhes que propiciam alguma (re)politização da discussão no debate contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-11-27

Como Citar

LOURENÇO, A. L. C. de; MACEDO, L. D. de; BEZERRA, M. M. de O.; SILVA, M. G. da; PEREIRA, W. E. N. O processo de acumulação na Economia Política Clássica: uma interpretação não convencional a partir da leitura dos ricos detalhes comumente inexplorados. Revista Economia Ensaios, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, v. 29, n. 2, 2015. DOI: 10.14393/REE-v29n2a2015-5. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/29392. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos