Estratégias de desenvolvimento nos BRICs: Uma análise Insumo-Produto

Autores

  • Nelson Marconi Escola de Economia de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas (EESP/FGV), Brasil
  • Guilherme R. Magacho Universidade de Cambridge, Reino Unido
  • Igor L. Rocha Universidade de Cambridge, Reino Unido

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v29n.esp.a2014-7

Resumo

A complexa relação entre estrutura produtiva e crescimento econômico tem sido fonte de calorosos debates entre economistas. De um lado, argumenta-se que não há problemas em crescer por meio da expansão das exportações dos setores primários, pois, além de gerarem renda, essas exportações teriam um importante efeito multiplicador sobre as demais cadeias produtivas, gerando expansão da economia como um todo. Do outro lado, argumenta-se que a mudança estrutural no sentido de aumentar a produção e exportação de manufaturados e bens de alta tecnologia é necessária para o crescimento sustentado no longo prazo, principalmente quando associada às cadeias globais de valor. Para contribuir com essa análise sobre a relação entre estruturas produtivas e estratégias de crescimento, foram calculados os encadeamentos dos setores para os quatro países durante a década de 2000. Analisando comparativamente o poder multiplicador dos setores dessas economias, verifica-se que a China apresenta robustos encadeamentos em quase todos os setores, enquanto que, no caso brasileiro, o único setor com resultados semelhantes é a indústria petrolífera. Isso indica que a indústria chinesa é bem mais interligada que a dos demais BRICs e que, consequentemente, um aumento da demanda na China gera muito mais impacto na economia doméstica do que um aumento equivalente nos demais países. A análise dos multiplicadores é complementada pela avaliação dos índices de ligação para trás e para frente. Em todos os países, o que se verifica é que os setores manufatureiros são os que apresentam maiores índices de ligação para trás, o que significa que esses setores são os mais dinâmicos no sentido de estimular a produção da economia como um todo. Por outro lado, os setores de petróleo, químico e commodities minerais são os que apresentam maiores índices de ligação para frente, indicando a importância de se ter esses setores estruturados para que a economia não enfrente gargalos na produção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-12-23

Como Citar

MARCONI, N.; MAGACHO, G. R.; ROCHA, I. L. Estratégias de desenvolvimento nos BRICs: Uma análise Insumo-Produto. Revista Economia Ensaios, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, v. 29, n. esp., 2014. DOI: 10.14393/REE-v29n.esp.a2014-7. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/28597. Acesso em: 5 dez. 2022.