O Nepotismo no Brasil: uma explicação institucionalista a partir das interpretações de Raymundo Faoro e Sérgio Buarque de Holanda

Autores

  • Herton Castiglioni Lopes UFFS

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v29n1a2014-2

Resumo

Este trabalho tem o objetivo de explicar o nepotismo a partir da História do Brasil. Em especial, utiliza-se das obras de Raymundo Faoro e Sérgio Buarque de Holanda e os respectivos conceitos de "Estamento Burocrático" e "Homem Cordial" dos autores. A persistência do problema no Brasil contemporâneo é explicada de acordo com a visão institucionalista, que esclarece a razão de permanência de algumas instituições, mesmo anacrônicas. As conclusões são de que a prática de favorecimento a parentes e amigos de governantes é originária de nossos colonizadores e consolidou-se como uma instituição informal de difícil eliminação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Herton Castiglioni Lopes, UFFS

Doutor em Economia pela UFRGS. Professor Adjunto da UFFS

Downloads

Publicado

2015-06-03

Como Citar

LOPES, H. C. O Nepotismo no Brasil: uma explicação institucionalista a partir das interpretações de Raymundo Faoro e Sérgio Buarque de Holanda. Revista Economia Ensaios, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, v. 29, n. 1, 2015. DOI: 10.14393/REE-v29n1a2014-2. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/22989. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos