O Funcionamento do Canal de Empréstimos Bancários Considerando um Diferencial Entre Taxas de Juros de Captação e Concessão de Recursos

Autores

  • Juliano Morais Galle UNISO - Universidade de Sorocaba

Resumo

Freixas e Rochet (2008) desenvolvem um modelo microeconômico distinguindo os efeitos das taxas de juros pagas pelos bancos pelos seus recursos captados e das taxas de juros cobradas pelos bancos pelos empréstimos bancários sobre o volume de empréstimos e depósitos bancários. Buscamos acrescentar esses resultados teóricos no esquema de funcionamento do mecanismo de transmissão da política monetária via empréstimos bancários e obtemos mais dois possíveis esquemas de funcionamento desse canal de transmissão além do preconizado originalmente, a saber: (i) elevações nas taxas básicas de juros podem implicar em menor concessão de crédito via um aumento nas taxas de captação de recursos e (ii) elevações nas taxas básicas de juros podem causar elevação nas taxas cobradas pelos empréstimos bancários e, conseqüentemente, contribuir positivamente com os resultados dos bancos, o que, por sua vez, pode implicar em elevações na concessão de crédito. Testes a partir de um modelo VAR sugeriram que o segundo, dos dois esquemas aqui propostos considerando o diferencial das taxas de captação e concessão de crédito, pode ser corroborado pela evidência empírica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliano Morais Galle, UNISO - Universidade de Sorocaba

economia

Downloads

Publicado

2013-10-15

Edição

Seção

Artigos