Um critério de demarcação entre a economia neoclássica e a heterodoxa: uma análise a partir da instabilidade estrutural

Autores

  • Fábio Batista Mota
  • Lúcio Flávio de Freitas
  • Maria Isabel Busato
  • Eduardo Costa Pinto

Resumo

RESUMO: Este artigo tem como objetivo delinear um critério de demarcação entre a teoria neoclássica (economics) e a heterodoxa. Para tanto, apóia-se nos trabalhos de Bueno (1997), Vercelli (1991) e Herscovici (2004; 2005). A questão da instabilidade (estabilidade) estrutural dos modelos explicativos desses dois eixos da economia - que permite verificar a importância atribuída à história - figura, aqui, como o critério central dessa demarcação. Utilizando-se do critério proposto, buscou-se, também, classificar as correntes macroeconômicas novo-clássica e póskeynesiana. Conclui-se que a primeira pode ser classificada como pertencente ao campo da economia neoclássica, enquanto que a última se insere no campo da heterodoxia. PALAVRAS-CHAVE: Economia heterodoxa. Economia neoclássica. Racionalidade. Incerteza. Estabilidade estrutural. Criteria to set boundary between neoclassic and heterodox economics: an analysis based on structural instability Key words: Heterodox economics. Neoclassic economics. Rationality. Uncertainty. Structural stability. JEL: B50, P16, D80.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Batista Mota

Mestre em Economia (CME/UFBA); graduado em Ciências Econômicas (FCE/UFBA); pesquisador do programa Economia da Saúde ( PECS/ISC/UFBA.

Downloads

Publicado

2009-02-20

Como Citar

MOTA, F. B.; FREITAS, L. F. de; BUSATO, M. I.; PINTO, E. C. Um critério de demarcação entre a economia neoclássica e a heterodoxa: uma análise a partir da instabilidade estrutural. Revista Economia Ensaios, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, v. 22, n. 1, 2009. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/1577. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos