Estado, Bem-Estar e Utilitarismo Clássico*

Autores

  • Moura Jr.
  • Paulo Rogério Scarano

Resumo

Resumo: Este estudo propõe uma revisão teórica do papel do Estado na promoção do bem-estar, com o propósito de enfatizar os diferentes pontos de vista desenvolvidos pelos mais importantes autores do utilitarismo clássico. Esta revisão teórica começa com A Riqueza das Nações de Adam Smith, o qual influenciou a própria teoria do valor trabalho, bem como conduziu o desenvolvimento por parte dos utilitaristas dos conceitos de harmonia e maximização do bem-estar, como resultado da ação individual e da propensão à troca. Posteriormente, discute-se algumas "correçõesâ€? feitas por Say à obra de Smith, com o objetivo de adaptá-la à sua própria abordagem utilitarista e às leis de mercado. Sênior e Bastiat também seguem a mesma linha de pensamento. Contudo, essa aparente unanimidade é quebrada por vozes dissonantes como as de Malthus, Bentham e Stuart Mill, que propõem a intervenção do Estado como uma forma de promover o bem-estar social. Sumário: 1. Introdução; 2. O Estado Totalitário de Hobbes e o Estado Liberal de Locke; 3. As Contribuições de Adam Smith para as Teorias de Harmonia e Bem-Estar Social; 4. Estado e Bem-Estar no Pensamento Utilitarista; 5. Conclusão. Palavras-chave: Estado. Utilitarismo. Bem-estar. Códigos JEL: B10; B12: B41.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-02-12

Edição

Seção

Artigos