Pobreza e Meio-Ambiente no Brasil Urbano*

Autores

  • Túlio Chiarini

Resumo

Resumo:Diversos são os danos gerados ao meio-ambiente pelo crescimento urbano. Alguns são problemas locais e outros acabam por afetar tanto o local quanto o planeta como um todo. Contudo, o impacto da degradação ambiental é desigual entre pobres e ricos, quase sempre afetando as pessoas mais pobres da maneira mais perversa, podendo infligir sérios danos aos pobres, já que suas vidas dependem do uso de recursos naturais e suas condições de vida oferecem pouca proteção contra poluição do ar, água e solo. De outro ponto de vista, a pobreza pode induzir os pobres a depredar ainda mais os recursos naturais e degradar o ambiente. Gerando um círculo vicioso, reduzindo a renda, os entitulamentos, os livelihoods, e a sobrevivência dos pobres. Este artigo buscou fazer uma análise estatística utilizando como proxy para pobreza não a renda per capita, mas um indicador mais amplo e com várias dimensões, como o índice de desenvolvimento humano, o IDH. Além disso, para verificar a ação dos indivíduos sobre o ambiente utilizou-se como proxy para a degradação ambiental a porcentagem de domicílios sem acesso a saneamento e a porcentagem de domicílios com acesso ao serviço de coleta de lixo, para encontrar um dos elos entre pobreza e meio-ambiente no Brasil urbano. Sumário: 1. Introdução; 2. Elos e Definições; 3. Entendendo o nexo pobrezameio- ambiente no meio urbano; 4. Caso brasileiro mais de perto; 5. Análise Empírica; 6. Conclusão. Palavras-chave: Pobreza. Meio-ambiente. Privações. Elo pobreza-meioambiente. Keywords: Poverty. Environment. Poverty and environment link. Códigos JEL: R20; Q53 e I32.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-01-16

Como Citar

CHIARINI, T. Pobreza e Meio-Ambiente no Brasil Urbano*. Revista Economia Ensaios, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, v. 21, n. 1, 2009. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/1552. Acesso em: 8 dez. 2022.