Macroeconomia Aberta, Hegemonia e Cooperação: a ortodoxia e sua crítica

Autores

  • Ricardo Dathein

Resumo

Resumo: O artigo faz uma análise das teorias macroeconômicas sobre economia aberta, em suas vertentes neoclássicas e keynesianas, examinando também concepções sobre hegemonia e cooperação supranacional. Inicialmente, são apresentadas as teorias ortodoxas para taxas de câmbio flexíveis e fixas, e extensões teóricas sobre expectativas e mercados de ativos. A seguir, examinamse críticas keynesianas às visões neoclássicas e apresenta-se uma discussão sobre a teoria keynesiana em relação à macroeconomia aberta. Analisam-se, também, concepções sobre hegemonia e cooperação, levando em conta as modificações recentes no contexto econômico internacional, com o aumento do fluxo de capitais derivado da globalização financeira. A partir disso, a conclusão apresenta críticas teóricas e sobre políticas às concepções ortodoxas, tendo em vista as distintas realidades dos países desenvolvidos e não desenvolvidos. Palavras-chave: macroeconomia aberta; teorias neoclássicas e keynesianas; hegemonia; cooperação supranacional. Códigos JEL: F41; F42. Open Macroeconomics, Hegemony and Cooperation: The Orthodoxy and its Criticism. Key words: open macroeconomics; neoclassics and Keynesians theories; hegemony; supranational cooperation. JEL Codes: F41; F42.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-01-15

Como Citar

DATHEIN, R. Macroeconomia Aberta, Hegemonia e Cooperação: a ortodoxia e sua crítica. Revista Economia Ensaios, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, v. 19, n. 2, 2009. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revistaeconomiaensaios/article/view/1542. Acesso em: 21 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos