Orientações sobre a prática de exercícios físicos domiciliares para pacientes cardiopatas em isolamento social durante a pandemia de Covid-19

relato de experiência

Autores

  • Camila Andrade da Silva Universidade Federal de Uberlândia
  • João Gabriel Nogueira Universidade Federal de Uberlândia
  • Erica Carolina Campos Universidade Federal de Uberlândia https://orcid.org/0000-0002-9369-3859

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v0n00-63743

Palavras-chave:

Saúde cardiovascular, Exercício físico, Reabilitação cardiovascular, Pandemia Covid-19

Resumo

Cardiopatas participantes de programas de reabilitação cardiovascular (RCV) se beneficiam da redução de morbimortalidade cardiovascular global e da taxa de hospitalização, além do ganho da qualidade de vida. Em março de 2020, a Organização Mundial da Saúde declarou pandemia de um novo Coronavírus – oficialmente denominado Sars-Cov-2 – e o isolamento social foi adotado para conter sua disseminação. Por essa razão, o período de isolamento implica em mudanças no estilo de vida, uma vez que se torna inviável ir a locais como parques e os programas de RCV ambulatorial, favorecendo a inatividade física e afetando, principalmente, aqueles que compõem o grupo de risco da Covid-19: idosos, doentes crônicos, imunossuprimidos, cardiopatas e os que apresentam fatores de risco cardiovasculares. A prática de exercícios pode atenuar as consequências pandêmicas, sentimentos depressivos ou de estresse no isolamento. Com a suspensão de atendimentos presenciais de RCV, e entendendo os prejuízos relacionados à inatividade física, fez-se necessária a orientação de exercícios físicos seguros de acordo com literatura atualizada, visando à manutenção de atividade física diária. Assim, o objetivo do projeto foi elaborar cartilhas autoexplicativas sobre a prática de exercícios físicos de maneira orientada e segura para cardiopatas, respeitando as recomendações de manter o isolamento social.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Andrade da Silva, Universidade Federal de Uberlândia

Graduanda em Fisioterapia na Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

João Gabriel Nogueira, Universidade Federal de Uberlândia

Graduando em Fisioterapia na Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Erica Carolina Campos, Universidade Federal de Uberlândia

Doutora em Ciências Médicas pela Universidade de São Paulo, Brasil; estágio pós-doutoral na Faculdade Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, Brasil; professora adjunta do Curso de Fisioterapia da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil.

Referências

CARVALHO, T. de. et al. Diretriz Brasileira de Reabilitação Cardiovascular. Arq. Bras. Cardiol., São Paulo, v. 114, n. 5, p. 943-987, maio. 2020. Disponível em: http://publicacoes.cardiol.br/portal/abc/portugues/2020/v11405/pdf/11405022.pdf. Acesso em 15 set. 2021.

DENAY, K. et al. ACSM call to action statement: Covid-19 considerations for sports and physical activity. Current Sports Medicine Reports, Philadelphia, v. 19, n. 8, p. 326-328, August 2020. Doi: 10.1249/JSR.0000000000000739. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/global-literature-on-novel-coronavirus-2019-ncov/resource/pt/covidwho-705016. Acesso em: 21 set. 2021.

DUNSTAN, D. et al. Sit less and move more for cardiovascular health: emerging insights and opportunities. Nat Rev Cardiol., London, v. 18, n. 9, p. 637-648, May 2020. Doi: 10.1038/s41569-021-00547-y. Disponível em: https://www.nature.com/articles/s41569-021-00547-y. Acesso em: 10 set. 2021.

JOY, L. Staying active during Covid-19. Med. sci. sports., Madison, March 2020. Disponível em: https://www.exerciseismedicine.org/news-updates/stories/?b=892. Acesso em 23 set. 2021.

MAGALHÃES, S. et al. Efeitos a longo prazo de um programa de reabilitação cardíaca no controlo dos fatores de risco cardiovasculares. Revista Portuguesa de Cardiologia, Lisboa, v. 32, n. 3, p. 191-199, 2013. Doi: 10.1016/j.repc.2012.08.005. Disponível em: https://www.revportcardiol.org/pt-efeitos-longo-prazo-um-programa-articulo-S087025511200306X. Acesso em: 15 ago. 2021.

JIMÉNEZ-PAVON, D; CARBONELL-BAEXA, A.; LAVIE, C. Physical exercise as therapy to fight against the mental and physical consequences of Covid-19 quarantine: special focus in older people. Prog Cardiovasc Dis, New York, v. 63, p. 386-388, 2020. Doi: 10.1016/j.pcad.2020.03.009. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32220590/. Acesso em: 15 ago. 2021.

PEÇANHA, T. et al. Social isolation during the Covid-19 pandemic can increase physical inactivity and the global burden of cardiovascular disease. Am J Physiol Heart Circ Physiol., Bethesda, v. 318, n. 6, June 2020. Doi: 10.1152/ajpheart.00268.2020. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32412779/. Acesso em 15 jul. 2021.

SALLIS, J.; PRATT, M. A call to action: physical activity and covid-19. Med. sci. sports.. Madison, April 2020. Disponível em: https://www.exerciseismedicine.org/a-call-to-action-physical-activity-and-covid-191/. Acesso em 23 de maio de 2020.

STEIN, R. Exercício físico em pacientes cardiopatas e na população em tempos de Coronavírus. Arq. Bras. Cardiol., São Paulo, v. 114, n. 5, p. 827-828, 2020. Doi: 10.36660/abc.20200281. Disponível em: https://www.scielo.br/j/abc/a/qg9Xzg47wsz8C8bKxC5CcmN/?lang=pt. Acesso em: 18 jul. 2021.

Downloads

Publicado

2021-11-01

Como Citar

SILVA, C. A. da; NOGUEIRA, J. G.; CAMPOS, E. C. Orientações sobre a prática de exercícios físicos domiciliares para pacientes cardiopatas em isolamento social durante a pandemia de Covid-19: relato de experiência. Revista Em Extensão, [S. l.], p. 164–176, 2021. DOI: 10.14393/REE-v0n00-63743. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/63743. Acesso em: 18 maio. 2022.