Apoio institucional para o fortalecimento de mulheres em contexto rural

Autores

  • Maria Aparecida Alves Sobreira Carvalho Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba
  • Maria Natália Bizerra Pimentel Monteiro Universidade Federal do Ceará
  • Carolina Marinho Marcelo Universidade Federal do Ceará
  • Renata Silvestre Moreno Universidade Federal do Ceará
  • Verônica Morais Ximenes Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v19n22020-56856

Palavras-chave:

Fortalecimento, Apoio institucional, Mulheres, Contexto rural, Extensão universitária

Resumo

Em uma cultura de resignação e submissão feminina, o contexto rural ainda contribui para a alienação, com escassez de espaços de reflexão sobre os mecanismos de opressão que atravessam a vida das mulheres. Este estudo objetiva investigar o potencial do apoio institucional como facilitador de processos de fortalecimento de mulheres em uma comunidade rural. Foram analisados 28 diários de campo, escritos no período de um ano e meio de atividades com um grupo de mulheres facilitado por extensionistas do Núcleo de Psicologia Comunitária (NUCOM) de uma universidade pública. Os diários foram analisados por meio do software Atlas ti 5.2 e organizados em dois temas: vida das mulheres e apoio institucional para o fortalecimento. As mulheres no contexto rural têm a vida marcada pela dificuldade de acesso às políticas públicas, desigualdade de gênero, longas jornadas de trabalho com pouca visibilidade e reconhecimento social, assumindo o protagonismo nos eventos religiosos e culturais da comunidade. O apoio institucional desenvolvido pelo NUCOM para facilitar o fortalecimento das mulheres esteve presente nas atividades participativas que integravam o pensamento, as sensações e a ação, favorecendo o encontro consigo, com o outro e com a comunidade, inaugurando novos espaços de fala, expressão das emoções e práticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Aparecida Alves Sobreira Carvalho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba

Doutoranda em Psicologia na Universidade Federal do Ceará, Brasil; professora do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba, Brasil.

Maria Natália Bizerra Pimentel Monteiro, Universidade Federal do Ceará

Graduanda em Psicologia na Universidade Federal do Ceará, Brasil; bolsista PIBIC-CNPq.

Carolina Marinho Marcelo, Universidade Federal do Ceará

Graduanda em Psicologia na Universidade Federal do Ceará, Brasil; bolsista PIBID-CNPq.

Renata Silvestre Moreno, Universidade Federal do Ceará

Graduanda em Psicologia na Universidade Federal do Ceará, Brasil; membro do Núcleo de Psicologia Comunitária (NUCOM-UFC).

Verônica Morais Ximenes, Universidade Federal do Ceará

Doutora em Recursos Humanos e Organizações pela Universitat de Barcelona, Espanha, com estágio pós-doutoral na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil; professora titular da Universidade Federal do Ceará, Brasil; coordenadora do Núcleo de Psicologia Comunitária (NUCOM).

Referências

ALBUQUERQUE, F. J. B. Aproximación metodológica desde la psicologia social a la investigación en las zonas rurales. Estudios Agrociales y Pesqueros, Madrid, v. 191, n. 1, p. 225-233, 2001.

BOJANIC, A. A importância das mulheres rurais no desenvolvimento sustentável do futuro. Nações Unidas Brasil, 2017. Disponível em: https://nacoesunidas.org/artigo-a-importancia-das-mulheres-rurais-no-desenvolvimento-sustentavel-do-futuro/. Acesso em: 2 dez. 2019.

CARVALHO, M. A. A. S.; XIMENES, V. M.; BOSI, M. L. M. Processos de fortalecimento em um movimento comunitário de saúde mental no nordeste do Brasil: novos espaços para a loucura. Aletheia, Canoas, n. 37, p. 162-176, 2012.

CELLARD, A. A análise documental. In: POUPART, J. et al. (org.). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008. p. 295-316.

CIDADE, E. C. et al. Escala multidimensional de fatalismo: validação da versão para contextos de pobreza rural. Revista de Psicología, Santiago, v. 27, n. 2, p. 23-35, 2018.

COSTA, M. G. S.; DIMENSTEIN, M. D. B.; LEITE, J. F. Condições de vida, gênero e saúde mental entre trabalhadoras rurais assentadas. Estudos de Psicologia, Natal, v. 19, n. 2, p. 145-154, 2014. Doi: 10.1590/S1413-294X2014000200007.

ELVAS, S.; MONIZ, M. J. V. Sentimento de comunidade, qualidade e satisfação de vida. Análise Psicológica, Lisboa, v. 28, n. 3, p. 451-464, 2010. Doi: 10.14417/ap.312.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra: 1983.

GÓIS, C. W. L. Noções de psicologia comunitária. 2. ed. Fortaleza: Edições UFC, 1994.

GUZZO, R. S. L. Da opressão à libertação: uma perspectiva urgente para a psicologia: a conclusão de um projeto, a abertura de perspectivas. In: LACERDA JUNIOR, F.; GUZZO, R. S. L. (org.). Psicologia & Sociedade: interfaces no debate sobre a questão social. Campinas: Alínea, 2010. p. 13-18.

IBGE. Sinopse do Censo Demográfico. 2017. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-e-pecuaria/21814-2017-censo-agropecuario.html?=&t=resultados. Acesso em: 2 dez. 2019.

LEITE, J. F. et al. A formação em psicologia para a atuação em contextos rurais. In: LEITE; J. F.; DIMENSTEIN; M. (org.). Psicologia e contextos rurais. Natal: EDUFRN, 2013. p. 27-56.

LEITE, J. F. et al. Participação política e autonomia de mulheres no meio rural brasileiro. In: XIMENES, V. M. et al. (org.). Implicações psicossociais da pobreza: diversidades e resistências. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2016. p. 45-67.

LIMA, M. S. A. As mulheres no sindicalismo rural. In: SCOTT, P.; CORDEIRO, R. (org.). Agricultura familiar e gênero: práticas, movimentos e políticas. Recife: Editora da UFPE, 2006. p. 101-126.

MACEDO, J. P.; DIMENSTEIN, M. Psicologia e a produção do cuidado no campo do bem estar social. Psicologia & Sociedade, Natal, v. 21, n. 3, p. 293-300, 2009. Doi: 10.1590/S0102-71822009000300002.

MARTÍN-BARÓ, I. Psicología de la liberación. Madrid: Trotta, 1998.

MEDEIROS, M.; PINHEIRO, L. S. Desigualdades de gênero em tempo de trabalho pago e não pago no Brasil, 2013. Sociedade e Estado, Brasília, v. 33, n. 1, p. 161-187, 2018. Doi: 10.1590/s0102-699220183301007.

MÉLLO, R. P. Cuidar? De quem? De quê? A ética que nos conduz. Curitiba: Appris, 2018.

MONTERO, M. Teoría e práctica de la psicología comunitaria: la tensión entre comunidad y sociedad. Buenos Aires: Paidós, 2003.

MONTERO, M. Hacer para transformar: el método en psicología comunitaria. Buenos Aires: Paidós, 2006.

REBOUÇAS JUNIOR, F. G; XIMENES V. M. Psicologia comunitária e psicologia histórico-cultural: análise e vivência da atividade comunitária pelo método dialógico-vivencial. Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João del-Rei, v. 5, n. 2, p. 151-162, 2010.

ROCHA, K. B.; MOREIRA, M. C.; BOECKEL, M. G. A entrevista e a visita domiciliar na prática do psicólogo comunitário. In: SARRIERA, J. C.; SAFORCADA, E. T. (org.). Introdução à psicologia comunitária: bases teóricas e metodológicas. Porto Alegre: Sulina, 2010. p. 205-214.

SANTOS, Y. I. G. As mulheres como pilar da construção dos programas sociais. Caderno CRH, Salvador, v. 27, n. 72, p. 479-494, 2014. Doi: 10.1590/S0103-49792014000300003.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, 1995.

SILVA, E; DIMENSTEIN, M.; DANTAS, C. Violência contra a mulher em um assentamento rural de reforma agrária do nordeste brasileiro. Revista Latino Americana de Geografia e Gênero, Ponta Grossa, v. 9, n. 1, p. 88-106, 2018. Doi: 10.5212/Rlagg.v.9.i1.0005.

SILVA, L. B. et al. Apoio social como modo de enfrentamento à pobreza. In: XIMENES, V. M. et. al. (org.). Implicações psicossociais da pobreza: diversidades e resistências. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2016. p. 289-310.

SOUZA, K. B. et al. Empoderamento das agriculturas integrantes da rede Mãos à Horta, Rio Pomba/MG. Revista Ciência em Extensão, São Paulo, v. 12, n. 4, p. 98-112, 2016.

WANDERLEY, M. N. B. A ruralidade no brasil moderno: por um pacto social pelo desenvolvimento rural. In: GIARRACCA, N. (org.). ¿Una nueva ruralidad en América Latina? Buenos Aires: Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, 2001. p. 31-44.

VALLA, V. V. Educação popular, saúde comunitária e apoio social numa conjuntura de globalização. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 15, Sup. 2, p. 7-14, 1999. Doi: 10.1590/S0102-311X1999000600002.

XIMENES, V. M. et al. Sentimento de comunidade e pobreza rural no nordeste, norte e sul do Brasil. Subjetividades, Fortaleza, v. 19, n. 1, p. 1-13, 2019. Doi: 10.5020/23590777.rs.v19i1.e7923.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

CARVALHO, M. A. A. S. .; MONTEIRO, M. N. B. P.; MARCELO, C. M.; MORENO, R. S.; XIMENES, V. M. . Apoio institucional para o fortalecimento de mulheres em contexto rural. Revista Em Extensão, [S. l.], v. 19, n. 2, p. 24–42, 2020. DOI: 10.14393/REE-v19n22020-56856. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/56856. Acesso em: 17 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais