Formação acadêmica para promover saúde

uma proposta inovadora

Autores

  • Olga Maria Ramalho de Albuquerque Universidade de Brasília http://orcid.org/0000-0001-6824-603X
  • Neusi Aparecida Navas Berbel Universidade Estadual de Campinas
  • Alberto Mesaque Martins Universidade Salgado de Oliveira
  • Maria Fernanda Mascarenhas dos Santos Melis Universidade de Brasília
  • Maria da Conceição Carrilho de Aguiar Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE_v16n22017_art01

Palavras-chave:

Extensão comunitária, Inovação, Formação profissional, Saúde, Participação social, Promoção da saúde

Resumo

Este texto busca caracterizar um Projeto de Extensão de Ação Contínua (Peac) vinculado à disciplina Promoção à Saúde 1 (PS 1) na Faculdade de Ceilândia, Universidade de Brasília, intitulado “Participação comunitária como meio de promover saúde”. O Peac iniciou em 2010. Os 682 discentes que cursaram a disciplina PS 1 entre 2010 e 2016 firmaram parceria com mais de 100 instituições, atingindo cerca de 1000 pessoas e colaborando para o exercício da função social da educação superior. Nesse ínterim, 42 trabalhos científicos resultantes do Peac foram aprovados e apresentados em congressos nacionais e internacionais. O principal efeito dessa prática pedagógica é o trânsito contínuo na interface ensino/pesquisa/ extensão. Seu desenvolvimento oportuniza aos participantes integrar teoria/prática; desenvolver habilidades cognitivas e sociais; analisar situações em equipe, além de operacionalizar mudanças no ambiente das instituições.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Olga Maria Ramalho de Albuquerque, Universidade de Brasília

Doutora em Saúde Bucal Coletiva pela Universidade de Pernambuco, Brasil; professora e pesquisadora da Faculdade de Ceilândia, Universidade de Brasília, Brasil.

Neusi Aparecida Navas Berbel, Universidade Estadual de Campinas

Pós-doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, Brasil.

Alberto Mesaque Martins, Universidade Salgado de Oliveira

Doutorando em Psicologia na Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil; professor do curso de graduação em Psicologia e CST em Recursos Humanos da Faculdade Pitágoras-Uniminas, Minas Gerais, Brasil; professor do curso de Psicologia da Universidade Salgado de Oliveira, Minas Gerais, Brasil; psicoterapeuta.

Maria Fernanda Mascarenhas dos Santos Melis, Universidade de Brasília

Mestranda em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação na Universidade de Brasília, Brasil.

Maria da Conceição Carrilho de Aguiar, Universidade Federal de Pernambuco

Pós-doutora em Ciências da Educação pela Universidade do Porto, Portugal; professora associada da Universidade Federal de Pernambuco, Brasil.

Referências

ALMEIDA FILHO, N. M. de. Contextos, impasses e desafios na formação de trabalhadores em Saúde Coletiva no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 6, p. 1677-1682, jun. 2013.

ALONSO L. et al. Educação e formação de adultos. In: Referencial de competências-chave. Lisboa: ANEFA, 2000. v. 1-2.

BASTOS, C. da C. Metodologias ativas. 2006. Disponível em: http://educacaoemedicina.blogspot.pt/2006/02/metodologias-ativas.html. Acesso em: 10 jul. 2017.

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia dos estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Nacionais Curriculares em Saúde Coletiva. 2017. (Documento em fase de homologação).

BRASIL. Ministério da Educação. Reestruturação e Expansão das Universidades Federais: diretrizes gerais. Brasília: MEC, 2007. Documento Elaborado pelo Grupo Assessor nomeado pela Portaria nº 552 SESu/MEC, de 25 de junho de 2007, em complemento ao art. 1º §2º do Decreto Presidencial nº 6.096, de 24 de abril de 2007.

CANDEIAS, N. M. F. Conceito de educação e promoção da saúde: mudanças individuais e organizacionais. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 209-213, abr. 1997.

CARBONELL, J. S. A aventura de inovar: a mudança na escola. Porto Alegre: Artmed, 2002.

CECCIM, R. B; FEUERWERKER, L. C. M. Mudança na graduação das profissões de saúde sob o eixo da integralidade. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 5, p. 1400-1410, set./out. 2004.

CUNHA, C. A. da; COSTA, I. C. C. Similaridades e diferenças sobre Promoção da Saúde e Educação em Saúde na opinião dos concluintes de odontologia. Robrac, Goiânia, v. 14, n. 37, p. 49-54, 2005.

DIONNE, H. A pesquisa-ação para o desenvolvimento local. Brasília: Liber Livro, 2007. (Série Pesquisa, 16).

FORPROEX – Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. Política Nacional de Extensão Universitária. 2012. Disponível em: http://www.utfpr.edu.br/estrutura-universitaria/pro-reitorias/prorec/diretoria-de-extensao/documentos-da-extensao-de-ambito-nacional/politica-nacional-de-extensao-universitaria-forproex-2012/view. Acesso em: 10 jul. 2017.

MONTEIRO, S. B. Pesquisa ação e produção de conhecimento na formação docente. In: PIMENTA, S. G.; FRANCO, M. A. do R. S. (Orgs.). Pesquisa em educação: possibilidades investigativas e formativas da pesquisa ação. São Paulo: Loyola, 2008.

OLIVEIRA, J. S. et al. O brincar como meio de promover saúde: uma pesquisa ação com crianças. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS EM SAÚDE, 4., 2013, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UERJ, 2013. p. 244. Disponível em: http://www.cienciassociaisesaude2013.com.br/ anais_cienciassociais2013.pdf. Acesso em: 10 jul. 2017.

SOUSA, T. C; SILVA, L. G.; ALBUQUERQUE, O. M. R. Participação social no Centro de Orientação Socioeducativo – Ceilândia, DF (COSE): o benefício da música e dança para a saúde dos idosos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS EM SAÚDE, 4., 2013, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UERJ, 2013. p. 614. Disponível em: http:// www.cienciassociaisesaude2013.com.br/anais_cienciassociais2013. pdf. Acesso em: 10 jul. 2017.

TEIXEIRA, C. F. Ensino da saúde coletiva na graduação. Boletim ABEM, Brasília, v. 31, n. 3, p. 4-6, 2003.

WHO – WORLD HEALTH ORGANIZATION. The Ottawa Charter on Health Promotion. Ottawa: WHO, 1986.

Downloads

Publicado

2018-02-28

Como Citar

ALBUQUERQUE, O. M. R. de .; BERBEL, N. A. N.; MARTINS, A. M. .; MELIS, M. F. M. dos S.; AGUIAR, M. da C. C. de . Formação acadêmica para promover saúde: uma proposta inovadora. Revista Em Extensão, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 9–24, 2018. DOI: 10.14393/REE_v16n22017_art01. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/40176. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais