Hortas comunitárias e reintegração social

uma análise das suas vantagens no sistema APAC de Sete Lagoas, Minas Gerais

Autores

  • Aline Oliveira Souza Universidade Federal de São João Del Rei
  • Daniel Calbino Pinheiro Universidade Federal de São João Del Rei

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE_v16n22017_art03

Palavras-chave:

APAC, Hortas comunitarias, Extensão universitária

Resumo

A agricultura urbana tem alcançado significativo avanço no Brasil enquanto alternativa de desenvolvimento local. Especificamente no município de Sete Lagoas-MG, se consolidou como referência internacional em hortas urbanas comunitárias com um histórico de 34 anos. No mesmo município, observa-se a existência de uma Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC), que se apresenta enquanto um método de recuperação do indivíduo baseado na reinclusão econômica e social, com baixos índices de reincidência ao crime em comparação aos sistemas tradicionais. Neste contexto, o presente relato de experiência teve por objetivo geral apresentar as contribuições da implementação de uma horta comunitária em uma APAC. Para tal, propôs-se por meio de uma pesquisa qualitativa participante e uso de questionários, diário de campo e fotografias, analisar os benefícios da horta comunitária para 30 recuperandos, durante os 17 meses de projeto. Os resultados da pesquisa apontam para um projeto de extensão que serviu de alternativa para geração de renda, avanços sociais e psíquicos como o reforço do convívio social, e diversidade alimentar e nutricional. Tais resultados mostram o quanto a combinação dessas vertentes tem potencial para auxiliar na reintegração social e econômica dos egressos do sistema prisional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Oliveira Souza, Universidade Federal de São João Del Rei

Graduanda em Engenharia Agronômica na Universidade Federal de São João del Rei, Campus Sete Lagoas, Minas Gerais, Brasil.

Daniel Calbino Pinheiro, Universidade Federal de São João Del Rei

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil; professor adjunto I na Universidade Federal de São João del Rei, Campus Sete Lagoas, Minas Gerais, Brasil.

Referências

ARRUDA, J; ARRAES, N, A. Análise do programa de hortas comunitárias em Campinas-SP. Organizações Rurais & Agroindustriais, Lavras, v. 9, n. 1, p. 221-228, 2011.

CALBINO, P. D. Avanços e desafios das hortas comunitárias urbanas de base agroecológica: uma análise do município de Sete Lagoas. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFSJ, 13., 2015, Sete Lagoas. Anais... Sete Lagoas: UFSJ, 2015.

CASTRO, O. G. A ressocialização de detentos da prisão provisória de Curitiba estimulada pela arte-educação: relato de experiência. 2004. 174 f. Monografia (Especialização em Música Popular) – Faculdade de Artes do Paraná, Curitiba, 2004.

CARVALHO, E. R. Plantando em quarteirões: um estudo de caso sobre a agricultura urbana em Sete Lagoas. 2006. Monografia (Especialização em Extensão Rural e Desenvolvimento Sustentável) – Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

CARVALHO, E.; TEIXEIRA, A; FRANÇA E. As hortas comunitárias urbanas de Sete Lagoas-MG. In: CONGRESSO PAN-AMERICANO DE INCENTIVO AO CONSUMO DE FRUTAS E HORTALIÇAS PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE, 5., 2009, Brasília. Anais... Brasília: UNB, 2009.

CARVALHO, J. Políticas públicas prisionais: a APAC de Pouso Alegre e a sociedade. In: SEMANA DE CIENCIA POLÍTICA DA USFSCAR, 3., 2015, São Carlos. Anais... São Carlos: UFSCAr, 2015.

COUTINHO, A. L. Família, trabalho e religião: fatores de reintegração do detento? Um estudo comparativo e descritivo entre o sistema prisional comum e a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados. 2009. 119 f. Dissertação (Mestrado em Economia Doméstica) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2009.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 1996. 288 p.

GUIMARÃES JÚNIOR, G. Associação de proteção e assistência aos condenados: solução e esperança para a execução da pena. Jus Navigandi, Teresina, v. 10, n. 882, p. 101-106, dez. 2005. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/7651. Acesso em: 12 maio 2017.

HIRATA, A. C; GOLLA, A. R.; HESPANHOL, R. A. de M. Caracterização da horticultura como uma estratégia de agricultura urbana em Presidente Prudente, São Paulo. Informações Econômicas, São Paulo, v. 40, n. 1, p. 34-43, jan. 2010. Disponível em: http:// www.iea.sp.gov.br/ftpiea/publicacoes/ie/2010/tec3-0110.pdf. Acesso em: 20 maio 2017.

INFOPEN. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. 2016. Disponível em: <http://portal.mj.gov.br>. Acesso em: 24 out. 2016.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA – IPEA. Relatório de Pesquisa: Reincidência Criminal no Brasil. 2015. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/index. php?option=com%20_content&view=article&id=25590. Acesso em: 20 maio 2017.

MATTOS, P. L. C. L. A entrevista não estruturada como forma de conversação: razões e sugestões para sua análise. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 4, n. 39, p. 823-847, jul-ago. 2005. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index. php/rap/article/view/6789. Acesso em: 16 abr. 2017.

MOUGEOT, L. Agricultura urbana: conceito e definição. Revista de Agricultura Urbana, Lima, v. 1, n. 1, p. 1-5, 2000. Disponível em: http://agriculturaurbana.org.br/RAU/AU01/AU1conceito.html. Acesso em: 16 abr. 2017.

OTTOBONI, M. Vamos matar o criminoso? Método APAC. São Paulo: Paulinas, 2006. 320 p.

SHECAIRA, S. S.; CORRÊA JUNIOR, A. Pena e Constituição. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 1995. 198 p.

SILVA, J. R. A execução penal à luz do método APAC. Belo Horizonte: Tribunal de Justiça de Minas Gerais, 2012. 376 p.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE MINAS GERAIS – TJMG. Programa Novos Rumos. Belo Horizonte: TJMG, 2011.

Downloads

Publicado

2018-02-28

Como Citar

SOUZA, A. O.; PINHEIRO, D. C. . Hortas comunitárias e reintegração social: uma análise das suas vantagens no sistema APAC de Sete Lagoas, Minas Gerais. Revista Em Extensão, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 53–74, 2018. DOI: 10.14393/REE_v16n22017_art03. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/38462. Acesso em: 7 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais