A extensão universitária como processo de inclusão digital e social

Projeto de Alfabetização em Informática (PAI) aplicado aos alunos da Escola Estadual Esperidião Marques, Cáceres, Mato Grosso

Autores

  • Tiago Luís de Andrade Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Beatriz Arruda Acosta Ferreira da Cruz Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Gislaine de Jesus Nogueira Universidade do Estado de Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v16n12017_art03

Palavras-chave:

Inclusão digital, Extensão universitária, Computador, Ensino, Aprendizagem

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de um projeto de extensão de inclusão digital por meio de ferramentas livres, realizado na cidade de Cáceres, Mato Grosso, no ano de 2016. O projeto foi operacionalizado por meio de cursos práticos de capacitação em informática básica, internet e redes sociais com o objetivo de incentivar a utilização de computadores e softwares livres instalados no processo de ensino-aprendizagem. Teve como público alvo alunos do ensino fundamental - 6º ao 9º ano - e contou com a participação de 72 alunos oriundos das quatro turmas da Escola Estadual Esperidião Marques. Os resultados apresentam a importância do projeto na inserção dos estudantes no uso do computador como recurso tecnológico, no dia a dia das pessoas envolvidas, incentivando-os a utilizar esse instrumento para a construção e transmissão de saberes. Tal recurso favoreceu a inclusão digital, social e pluralização do conhecimento, bem como gerou uma imagem positiva das instituições envolvidas junto à comunidade local.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tiago Luís de Andrade, Universidade do Estado de Mato Grosso

Mestre em Ciência da Computação (Engenharia de Software e Banco de Dados) pela Universidade Estadual
Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São Paulo, Brasil; professor assistente da Universidade do Estado de Mato
Grosso, Campus de Alto Araguaia, Mato Grosso, Brasil; coordenador do Projeto de Alfabetização em Informática.

Beatriz Arruda Acosta Ferreira da Cruz, Universidade do Estado de Mato Grosso

Graduanda em Letras na Universidade do Estado de Mato Grosso, Campus Cáceres, Brasil; membro do Projeto de Alfabetização em Informática.

 

Gislaine de Jesus Nogueira, Universidade do Estado de Mato Grosso

Graduanda em Letras na Universidade do Estado de Mato Grosso, Campus Cáceres, Brasil; membro do Projeto de Alfabetização em Informática; bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID).

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs): ensino médio. Brasília: MEC/SEF, 2000. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/14_24.pdf. Acesso em: 12 abr. 2016.

CRUZ, R. O que as empresas podem fazer pela inclusão digital. São Paulo: Instituto Ethos, 2004. 112 p.

GRINSPUN, M. P. S. Z. et al. Educação tecnológica: desafios e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2001. 231 p.

MARQUES, C. P. C.; MATTOS, M. I. L. de; TAILLE, Y. de la. Computador e ensino: uma aplicação à língua portuguesa. São Paulo: Ática, 2000. 96 p.

MISKULIM, R. G. S.; AMORIM, J. A.; SILVA, M. R. C. As possibilidades pedagógicas do ambiente computacional TelEduc na exploração, disseminação e representação de conceitos matemáticos. In: BARBOSA, R. M. (Org.). Ambientes virtuais de aprendizagem. Porto Alegre: Artimed, 2005. p. 71-83.

OLIVEIRA, C. C.; COSTA, J. W.; MOREIRA, M. Ambientes informatizados de aprendizagem: produção e avaliação de software educativo. Campinas: Papirus, 2001. 144 p.

TAJRA, S. F. Informática na educação: novas ferramentas pedagógicas para o professor da atualidade. 3. ed. São Paulo: Érica, 2001. 181 p.

Downloads

Publicado

2017-08-22

Como Citar

ANDRADE, T. L. de; CRUZ, B. A. A. F. da; NOGUEIRA, G. de J. . A extensão universitária como processo de inclusão digital e social: Projeto de Alfabetização em Informática (PAI) aplicado aos alunos da Escola Estadual Esperidião Marques, Cáceres, Mato Grosso. Revista Em Extensão, Uberlândia, MG, v. 16, n. 1, p. 54–66, 2017. DOI: 10.14393/REE-v16n12017_art03. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/37355. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais