Assistência de enfermagem a pacientes oncológicos com risco de úlcera por pressão em um projeto de extensão universitária

Autores

  • Juliano Teixeira Moraes Universidade Federal de São João del-Rei Campus Centro Oeste
  • Liziane Martins da Silva Universidade Federal de São João del-Rei/Campus Centro Oeste
  • Sabrina de Cássia Chagas Universidade Federal de São João del-Rei/Campus Centro Oeste
  • Ana Gabriela Silva Universidade Federal de São João del-Rei/Campus Centro Oeste

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v15n12016_rel05

Palavras-chave:

Resumo

O risco de desenvolver úlceras por pressão pode ser avaliado pelos enfermeiros por meio de escalas validadas, como a escala de Braden. Nesse sentido, o projeto de extensão "Cuidados e Supervisão da Pele" teve como objetivos avaliar o risco e promover a prevenção de úlceras por pressão em uma unidade de oncologia. Este texto, portanto, trata-se de um relato de experiência de discentes e docentes envolvidos no projeto. As atividades foram realizadas em um setor de internação de oncologia de um hospital de grande porte do centro-oeste mineiro e envolveram avaliação para o risco de desenvolver úlcera por pressão, orientações para o paciente e acompanhante sobre a prevenção da úlcera por pressão em nível hospitalar, além da prescrição de cuidados e da cobertura ideal para o tratamento da lesão. Atividades de capacitação também foram implementadas a fim de sensibilizar profissionais e estudantes da área de saúde para a problemática. Campanhas preventivas de úlcera por pressão devem ser estimuladas e implementadas durante a hospitalização dos pacientes de risco. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliano Teixeira Moraes, Universidade Federal de São João del-Rei Campus Centro Oeste

Doutor em Ciências Aplicadas à Saúde do Adulto Profeessor Adjunto do Curso de Enfermagem

Liziane Martins da Silva, Universidade Federal de São João del-Rei/Campus Centro Oeste

Bolsista de Extensão. Acadêmica do Curso de Enfermagem da Universidade Federal de São João del-Rei/Campus Centro Oeste.

Sabrina de Cássia Chagas, Universidade Federal de São João del-Rei/Campus Centro Oeste

Bolsista de Extensão. Acadêmica do Curso de Enfermagem da Universidade Federal de São João del-Rei/Campus Centro Oeste.

Ana Gabriela Silva, Universidade Federal de São João del-Rei/Campus Centro Oeste

Enfermeira, Mestranda em Biotecnologia na Universidade Federal de São João del-Rei/Campus Centro Oeste

Referências

ALVES, A. R. et al. A importância da assistência de enfermagem na prevenção da úlcera por pressão no paciente hospitalizado. Revista do Instituto de Ciências da Saúde, São Paulo, v. 26, n. 4, p. 397- 402, out./dez. 2008.

BARANOSKI S. How to prevent and manage skin tears. Advances in Skin & Wound Care, Frederiksberg, v. 16, n. 5, p. 268-270, Sep./ Oct. 2003.

BERGSTROM, N. et al. The Braden scale for predicting pressure sore risk. Nursing Research, Minneapolis, v. 36, n. 4, p. 205-210, Jul./Aug. 1987.

BLANES, L. et al. Avaliação clínica e epidemiológica das úlceras por pressão em pacientes internados no Hospital São Paulo. Revista da Associação Médica Brasileira, São Paulo, v. 50, n. 2, p. 182-187, abr. 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras providências. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 26 jun. 1986.

_____. Ministério da Saúde. Tratamento e controle de feridas tumorais e úlceras por pressão no câncer avançado. Rio de Janeiro: MS, INCA, 2009 (Série Cuidados Paliativos).

_____. Ministério da Saúde. Portaria nº 529, de 1º de abril de 2013. Institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2013.

_____. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Segurança do Paciente. Protocolo para prevenção de úlcera por pressão. Brasília, DF: Ministério da Saúde, ANVISA, Fiocruz, 2013.

CAMPOS, S. F. et al. Fatores associados ao desenvolvimento de úlceras de pressão: o impacto da nutrição. Revista de Nutrição, Campinas, v. 23, n. 5, p. 703-714, set./out. 2010.

COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução nº 0501/2015. Regulamenta a competência da equipe de enfermagem no cuidado às feridas e dá outras providências. Brasília, DF, 9 dez. 2015.

CRIADO, P. R et al. Reações tegumentares adversas relacionadas aos agentes antineoplásicos: parte II. Anais Brasileiros de Dermatologia, São Paulo, v. 85, n. 5, p. 591-608, 2010.

DOCHTERMAN, J. M.; BULECHEK, G. M. Classificação das intervenções de enfermagem (NIC). 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

HAMPTON, S. Case study: the treatment or palliative care off pressure ulcers. British Journal of Nursing, London, v. 9, n. 6, p. 32-34, 2000.

HENDRICHOVA, I. et al. Pressure ulcers in cancer palliative care patients. Palliative Medicine, Lancaster, v. 24, n. 7, p. 669-673, 2010.

LISE, F.; SILVA, L. C. Prevenção de úlcera por pressão: instrumentalizando a enfermagem e orientando o familiar cuidador. Acta Scientiarum Health Sciences, Maringá, v. 29, n. 2, p. 85-89, jul./dez. 2007.

MALAQUIAS, S.G.; BACHION, M.M.; NAKATANI, A.Y.K. Risco de integridade da pele prejudicada em idosos hospitalizados. Cogitare Enfermagem, Curitiba, v.13, n. 3, p. 428-436, jul./set. 2008.

MEDEIROS, A. B. F.; LOPES, C. H. A. de F.; JORGE, M. S. B. Análise da prevenção e tratamento das úlceras por pressão propostos por enfermeiros. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 43, n. 1, p. 223-228, mar. 2009.

MOHILE, S. G. et al. Association of a cancer diagnosis with vulnerability and frailty in older medicare beneficiaries. Journal of the National Cancer Institute, Oxford, v. 101, n. 17, p. 1206-1215, Sep. 2009.

National Pressure Ulcer Advisory Panel (NPUAP); European Pressure Ulcer Advisory Panel (EPUAP); Pan Pacific Pressure Injury Alliance (PPPIA). Prevenção e tratamento de úlceras por pressão: guia de consulta rápida. Coimbra: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, 2014.

PARANHOS, W. Y.; SANTOS, V. L. C. G. Avaliação de risco para úlceras de pressão por meio da escala de Braden. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 33, n. especial, p. 191-206, abr. 1999.

PIRES, A. M. T.; SEGRETO, R. A.; SEGRETO, H. R. C. Avaliação das reações agudas da pele e seus fatores de risco em pacientes com câncer de mama submetidas à radioterapia. Revista Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 16, n. 5, p. 844-849, out. 2008.

SANTOS V. L. C. G. Avanços tecnológicos no tratamento de feridas e algumas aplicações em domicílio. In: DUARTE, Y. A. O; DIOGO M. J. D. Atendimento domiciliar: um enfoque gerontológico. São Paulo: Atheneu, 2000.

SILVA, E. W. N. L. et al. Aplicabilidade do protocolo de prevenção de úlcera de pressão em unidade de terapia intensiva. Revista Brasileira de Terapia Intensiva, São Paulo, v. 22, n. 2, p. 175-185, jun. 2010.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. Tradução de Luis Silveira Menna Barreto, Solange Castro Afeche e José Cipolla Neto. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

Downloads

Publicado

2016-07-25

Como Citar

MORAES, J. T.; SILVA, L. M. da; CHAGAS, S. de C.; SILVA, A. G. Assistência de enfermagem a pacientes oncológicos com risco de úlcera por pressão em um projeto de extensão universitária. Revista Em Extensão, [S. l.], v. 15, n. 1, p. 117–132, 2016. DOI: 10.14393/REE-v15n12016_rel05. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/32363. Acesso em: 29 maio. 2022.

Edição

Seção

Relatos de Experiência