Acordes/UFT: o teatro e o lúdico como intervenções de educação em saúde

Autores

  • Eduardo Luz Santos Universidade Federal do Tocantins
  • Flávio Dias Silva Universidade Federal do Tocantins

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v15n12016_rel07

Palavras-chave:

Educação em saúde. Integração comunitária. Educação médica.

Resumo

Este texto relata a experiência de participação de alunos de graduação dos cursos da área de saúde da Universidade Federal do Tocantins (UFT) no projeto de extensão "Acordes: o teatro e o lúdico como intervenções em saúde", nos anos de 2009 a 2013. Na proposta do projeto, buscou-se a apropriação dos tópicos teatrais mais relevantes na estética proposta por Augusto Boal - o Teatro do Oprimido - que fossem úteis para a educação popular em saúde e que expusessem o papel individual e coletivo de cada ser perante a saúde pública, evitando as fronteiras típicas entre o saber científico e o popular. O projeto atingiu um público de aproximadamente 4.200 pessoas, envolveu 67 estudantes de graduação e resultou em uma experiência satisfatória quanto a adquirir novas habilidades de comunicação e uma nova filosofia de pensar o ser humano como cidadão integrante de um sistema de saúde público, gratuito e universal. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Luz Santos, Universidade Federal do Tocantins

Discente do curso de Medicina

Bolsista PIBEX (2013-2014) do projeto Acordes/UFT: O Teatro e o Lúdico como intervenções em saúde-

Flávio Dias Silva, Universidade Federal do Tocantins

Médico de Família e Comunidade, Médico Psiquiatra

Docente do curso de Medicina da Universidade Federal do Tocantins

Coordenador do Projeto de Extensão Acordes/UFT: O Teatro e o Lúdico como intervenções em saúde

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2004.

BOAL, A. Teatro do oprimido e outras poéticas políticas. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.

GAZZINELLI, M. F. et al. Educação em saúde: conhecimentos, representações sociais e experiências da doença. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 200-206, jan./fev. 2005.

GOLDSCHMIDT, I. L. O teatro de Augusto Boal e a educação profissional em saúde. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 61-69, mar./jun. 2012.

MAYER, D. E. E. et al. Interrogando relações entre educação e saúde desde a perspectiva da vulnerabilidade. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 6, p. 1335-1342, jun. 2006.

NAZIMA, T. J. et al. Orientação em saúde por meio do teatro: relato de experiência. Revista Gaúcha Enfermagem, Porto Alegre, v. 29, n. 1, p. 147-151, mar. 2008.

NORMAN, A. H.; TESSER, C. D. Prevenção quaternária na atenção primária à saúde: uma necessidade do Sistema

SOARES, S. M.; SILVA, L. B.; SILVA, P. A. B. O teatro em foco: estratégia lúdica para o trabalho educativo na saúde da família. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, p. 818-824, out./dez. 2011.

Downloads

Publicado

2016-07-25

Como Citar

SANTOS, E. L.; SILVA, F. D. Acordes/UFT: o teatro e o lúdico como intervenções de educação em saúde. Revista Em Extensão, Uberlândia, MG, v. 15, n. 1, p. 141–149, 2016. DOI: 10.14393/REE-v15n12016_rel07. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/31437. Acesso em: 30 nov. 2022.

Edição

Seção

Relatos de Experiência