Estudo epidemiológico e da qualidade da água em uma escola de ensino fundamental do município de Uberlândia, Minas Gerais: aspectos ambientais e sociais

Autores

  • Guilherme Afonso de Figueiredo Martins Universidade Federal de Uberlândia
  • Jean Maikon Santos Oliveira Universidade Federal de Uberlândia
  • Márcia Regina Batistela Moraes
  • Milla Alves Baffi

DOI:

https://doi.org/10.14393/REE-v14n22015_art05

Palavras-chave:

Saúde ambiental, Saneamento básico, Educação ambiental, Qualidade da água.

Resumo

Este estudo objetivou conscientizar alunos, pais e profissionais de
uma escola da rede pública municipal de Uberlândia, Minas Gerais,
sobre a importância da preservação e do tratamento adequado da
água. A qualidade da água da escola foi atestada por meio de análise
bacteriológica de coliformes totais e fecais. O estudo epidemiológico
foi realizado mediante aplicação de questionário às famílias dos
alunos, com alcance de 604 pessoas. Palestras de educação ambiental
e distribuição de uma cartilha informativa foram atividades realizadas
com os alunos da escola. Não foi observada a presença de coliformes
fecais nas amostras analisadas, porém uma delas apresentou resultado
positivo para coliformes totais na água do bebedouro avaliada no mês
de dezembro. A concentração encontrada foi baixa (7 NMP/100
mL) e deveu-se provavelmente à baixa frequência de higienização
da caixa d'água, que só ocorre no final do ano. Também não foi
encontrada nenhuma relação entre o histórico de ocorrência de
diarreia nas famílias e a renda per capita familiar ou associação com
hábitos de higiene pessoal e alimentar tais como: tipo de utensílio
utilizado para filtragem da água, frequência e forma de higienização
da caixa d'água ou forma de lavagem dos alimentos ingeridos crus. O
resultado encontrado foi atribuído às boas condições de saneamento
do município de Uberlândia. A promoção da educação ambiental foi
realizada com êxito e teve repercussão positiva entre os pais, alunos e
profissionais da escola, reforçando a importância da relação ensinoextensão
para a comunidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Afonso de Figueiredo Martins, Universidade Federal de Uberlândia

Graduando em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Tenho experiência na área de Engenharia Ambiental e Sanitária com ênfase em microbiologia aplicada, hidráulica, abastecimento e tratamento de água.

Jean Maikon Santos Oliveira, Universidade Federal de Uberlândia

Graduando em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Tem experiência na área de Engenharia Ambiental e Sanitária, com ênfase em Saneamento.

Referências

APHA, AWWA, WEF. Multiple tube fermentation technique for members of the coliform group. Standard methods for the examination of water and wastewater. 21. ed. Washington, DC: APHA, 2005. Section 9221.

BAIRD, C.; CANN, M. Química ambiental. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.

BASTOS, R. K. X.; BEVILACQUA, P. D.; KELLER, R. Organismos patogênicos e efeitos sobre a saúde humana. In: G. R. F. Desinfecção de efluentes sanitários. Rio de Janeiro: ABES; Rima, 2003. p. 27-88.

BRAGA, B. et al. Introdução à engenharia ambiental: o desafio do desenvolvimento sustentável. 2. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2005.

BRASIL. Fundação Nacional de Saúde. Manual prático de análise de água. 2. ed. Brasília: Fundação Nacional de Saúde, 2006.

______. Portaria n° 2. 914, de 12 de dezembro de 2011. Dispõe sobre os procedimentos de controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade. Disponível em: <http://site.sabesp.com.br/uploads/file/asabesp_doctos/kit_arsesp_portaria2914.pdf>. Acesso em: 15 maio 2014.

______. Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9433. htm>. Acesso em: 15 maio 2014.

DMAE. Departamento Municipal de Água e Esgoto de Uberlândia. Análises físico-químicas e bacteriológicas da água no município de Uberlândia. 2014. Disponível em: <http://www.dmae. mg.gov.br/?pagina=Conteudo&id=772>. Acesso em: 15 maio 2014.

FREITAS, M. B.; BRILHANTE, O. M.; ALMEIDA, L. M. Importância da análise de água para a saúde pública em duas regiões do Estado do Rio de Janeiro: enfoque para coliformes fecais, nitrato e alumínio. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, p. 651- 660, 2001.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Morbidades hospitalares. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: 20 jul. 2014.

LIB

MADIGAN, M. T. et al. Microbiologia de Brock. 12. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. 1128p.

PORTO, M. F. A.; PORTO, R. L. Gestão de bacias hidrográficas. Estudos Avançados, São Paulo, v. 22 , n. 63, 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103- 40142008000200004&script=sci_arttext>. Acesso em 19 set. 2014.

ROCHA, J. C.; ROSA, A. H.; CARDOSO, A. A. Introdução à química ambiental. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009. 256p.

ROCHA, C. M. B. M. et al. Avaliação da qualidade da água e percepção higiênico-sanitária na área rural de Lavras, Minas Gerais, Brasil, 1999-2000. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 22, n. 9, set. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2006000900028>. Acesso em: 19 set. 2014.

SINAN

TRATA BRASIL. Instituto Trata Brasil. Ranking do Saneamento. 2014. Disponível em: <http://www.tratabrasil.org.br/>. Acesso em: 28 jul. de 2014.

UNESCO

VEIGA, P. T. 40% da população mundial não têm acesso a um banheiro, diz ONU. Folha de São Paulo, São Paulo, 24 mar. 2013. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/empreendedorsocial/1250130- 40-da-populacao-mundial-nao-tem-acesso-a-um-banheiro-diz-onu. shtml>. Acesso em: 19 abr. 2014.

VIEIRA, S. Introdução à bioestatística. 4. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008. 196p.

Downloads

Publicado

2016-04-11

Como Citar

AFONSO DE FIGUEIREDO MARTINS, G.; MAIKON SANTOS OLIVEIRA, J.; BATISTELA MORAES, M. R.; ALVES BAFFI, M. Estudo epidemiológico e da qualidade da água em uma escola de ensino fundamental do município de Uberlândia, Minas Gerais: aspectos ambientais e sociais. Revista Em Extensão, Uberlândia, MG, v. 14, n. 2, p. 104–121, 2016. DOI: 10.14393/REE-v14n22015_art05. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/revextensao/article/view/30559. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais