Sobre a Revista

Foco e Escopo

A REVISTA BRASILEIRA DE ENGENHARIA CIVIL é um periódico científico da Faculdade de Engenharia Civil da Universidade Federal de Uberlândia, que tem como propósito o desenvolvimento e divulgação do conhecimento científico e tecnológico nas áreas de Construção Civil, Estruturas, Transportes, Geotecnia, Geotecnologia, Recursos Hídricos, Hidráulica e Saneamento. A Revista caracteriza-se como publicação contínua de um volume anual com três números, sendo sua estrutura interna composta de editorial, artigos científicos completos e notas técnicas com divulgação eletrônica.

Todos os trabalhos a serem submetidos para publicação devem ser originais e inéditos, necessariamente provenientes de pesquisa científica, relativos à área do conhecimento Engenharia Civil. Não são aceitos manuscritos que contenham uma simples revisão bibliográfica, sem que o seu método de pesquisa ou abordagem seja original e as conclusões principais devem ser necessariamente originais e inéditas. São aceitos trabalhos em língua portuguesa e línguas estrangeiras (inglês e espanhol).

Processo de Avaliação pelos Pares

  1. O trabalho submetido passa por quatro etapas. Primeiramente é realizado o controle de plágio e autoplágio. Posteriormente, é feita a avaliação prévia pela Comissão Editorial para verificar a pertinência do assunto e o atendimento às diretrizes editoriais da Revista. Sendo aceito nesta etapa, todos os trabalhos passam pela apreciação de dois pareceristas. Em seguida, é realizado o processo de avaliação por pareceristas que emitem os seus pareceres sobre o manuscrito avaliado. Por fim, os pareceres emitidos são analisados pela Comissão Editorial que faz um parecer consolidado e o remete aos autores.
  2. Os autores recebem um comunicado do periódico informando se o manuscrito submetido foi aceito sem alterações, rejeitado ou se necessita de alterações para a publicação.
  3. A REVISTA BRASILEIRA DE ENGENHARIA CIVIL utiliza o sistema de avaliação duplo cego (double blind peer review), ou seja, tanto os avaliadores quanto os autores não têm acesso aos nomes dos outros.
  4. A Revista conta com a colaboração de avaliadores externos que atuam em instituições de diferentes regiões do país. A escolha dos avaliadores leva em consideração a experiência desses profissionais em seus respectivos campos de atuação.
  5. A Avaliação do manuscrito é padronizada e embasada em um formulário que orienta a elaboração do parecer. As orientações sugerem o exame das seguintes alíneas:
  • Organização ou estrutura do manuscrito: observar a estruturação lógica do manuscrito quanto à organização dos tópicos que o compõem, devendo conter fundamentação teórica bem elaborada e atual, descrição clara e objetiva da metodologia da pesquisa, apresentação e discussão dos resultados e conclusões do trabalho;
  • Qualidade da redação do manuscrito: verificar a clareza, consistência dos resultados apresentados, qualidade gráfica das ilustrações, qualidade ortográfica e gramatical do texto;
  • Valor técnico e científico do trabalho: analisar o emprego correto dos conceitos abordados, a profundidade dos conteúdos, o rigor técnico e científico do trabalho, a citação de referências fundamentais para o tema e de abrangência internacional e atualizada, as contribuições do trabalho para o conhecimento técnico e científico;
  • Relevância e originalidade do tema: constatar a importância e ineditismo do assunto apresentado para o avanço do conhecimento e vínculo com problemas importantes relacionados à Engenharia Civil.

Periodicidade

Publicação contínua de um volume anual com três números.

Editora

Detecção de Plágio

Todos os textos submetidos a Revista Brasileira de Engenharia Civil são escrutinados para o impedimento de plágio por meio do software Plagius (https://www.plagius.com/br). Quando constatado plágio, o texto é recusado. A tolerância de autoplágio é de até 30%, com exclusão de citações e referências deste percentual.

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.