AVALIAÇÃO DO ÍNDICE DE CAPACIDADE PARA O TRABALHO (ICT) DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM PORTADORES DE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS

Autores

  • Paulo César de Oliveira Júnior Mestre em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Uberlândia (MG), Brasil
  • Paulo Cezar Mendes Docente do Instituto de Geografia Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Uberlândia (MG) Brasil
  • Eleonora Henriques Amorim de Jesus Doutoranda em Fisiopatologia Experimental Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), São Paulo (PS), Brasil
  • Flávia de Oliveira Santos Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá (IFAP), Amapá (AP), Brasil

DOI:

https://doi.org/10.14393/Hygeia17063158

Palavras-chave:

Índice de Segurança para o Trabalho (ICT), Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT)., Enfermagem

Resumo

Este estudo objetivou investigar a ocorrência e a prevalência de doenças crônicas não transmissíveis na equipe de Enfermagem no setor de clínica médica do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), e a relação com o adoecimento e capacidade laboral desses trabalhadores. Para tanto foi realizada uma reflexão teórica sobre o Índice de Capacidade para o Trabalho (ICT) e das doenças crônicas não transmissíveis com enfoque para a hipertensão, diabetes mellitus e dislipidemia; identificação da ocorrência dessas doenças na equipe de enfermagem por meio da aplicação do questionário ICT, análise da ralação dessas condições com o processo de adoecimento e capacidade laboral dos profissionais de enfermagem. Dentre os entrevistados portadores de DCNT, podemos observar que a grande maioria apresentou Índice de Capacidade para o Trabalho MODERADA, seguido por uma Capacidade para o Trabalho BOA e uma pequena parte apresentou BAIXA Capacidade para o Trabalho, e nenhum participante de portador de DCNT apresentou um ICT considerado ÓTIMO. Esta pesquisa também conclui que as DCNT interferem na Capacidade para o Trabalho quando correlacionada às longas jornadas de trabalho, com destaque para a faixa etária dos 31 aos 40 anos que e se mostrou mais vulnerável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-09-26

Como Citar

OLIVEIRA JÚNIOR, P. C. de .; MENDES, P. C.; JESUS, E. H. A. de .; SANTOS, F. de O. AVALIAÇÃO DO ÍNDICE DE CAPACIDADE PARA O TRABALHO (ICT) DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM PORTADORES DE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], v. 17, p. 227–242, 2021. DOI: 10.14393/Hygeia17063158. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/63158. Acesso em: 23 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos