A INFLUÊNCIA DAS CARACTERÍSTICAS AMBIENTAIS E DOS FATORES CONDICIONANTES NA FREQUÊNCIA DAS PARASITOSES INTESTINAIS NA INFÂNCIA

Autores

  • Márcio Barreto da Silva Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Ellany Gurgel Cosme do Nascimento Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • João Bezerra de Queiroz Neto Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Franklin Roberto da Costa Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
  • Márcio Adriano Fernandes Barreto Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.14393/Hygeia1860851

Palavras-chave:

Crianças, Enfermagem, Parasitoses, Prevalência

Resumo

Objetivo: Identificar a frequência, os fatores socioeconômicos, sanitários e hábitos de higiene condicionantes às enteroparasitoses e avaliar as características físicas do ambiente relacionadas às parasitoses intestinais. Método: Pesquisa transversal, descritivo e de abordagem quantitativa, ocorrida com as crianças registradas em duas unidades básicas de saúde com idade em 3 e 7 anos, no município de Pau dos Ferros/RN. A amostra foi composta por 90 crianças, nas quais realizou-se exames parasitológicos de fezes por meio de sedimentação espontânea, que responderam a entrevista semiestruturada. As crianças que tiveram as fezes coletadas foram mapeadas a partir da localização espacial, por meio de gps, para análise das características do ambiente em que vivem. Resultado: Observou-se uma frequência de 50% das crianças com enteroparasitoses; os protozoários mostraram prevalência de 100%, sendo o Endolimax nana de maior frequência, com 41,1% dos casos positivos para os monoparasitados. Quanto aos poliparasitados o E. nana e E. histolytica/díspar se apresentaram em 50% dos casos. Identificou-se associação às enteroparasitoses e roer as unhas. Destaca-se que 63,3% dos domicílios apresentaram lixo em suas proximidades. Conclusão: A frequência de parasitoses intestinais foi elevada, sinalizando a carência de ações efetivas para o controle e prevenção dessas patologias, sendo necessários programas ou intervenções direcionados para a prevenção, controle e/ou erradicação desta doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-07-21

Como Citar

DA SILVA, M. B.; DO NASCIMENTO, E. G. C.; DE QUEIROZ NETO, J. B.; DA COSTA, F. R.; BARRETO, M. A. F. A INFLUÊNCIA DAS CARACTERÍSTICAS AMBIENTAIS E DOS FATORES CONDICIONANTES NA FREQUÊNCIA DAS PARASITOSES INTESTINAIS NA INFÂNCIA. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], v. 18, p. 164–176, 2022. DOI: 10.14393/Hygeia1860851. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/60851. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos