VULNERABILIDADES PARA GESTANTES E PUÉRPERAS DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19 NO ESTADO DE SANTA CATARINA, BRASIL

Autores

  • Adriana Wagner Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Alex Silva Soares Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Eduardo Augusto Werneck Ribeiro Instituto Federal Catarinense
  • Jane Kelly Oliveira Friestino Universidade Federal da Fronteira Sul campus Chapecó
  • Marcos Vinicius Perez Lovatto Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Rivaldo Mauro Faria Universidade Federal de Santa Maria
  • Werner André Weissheimer Universidade Federal da Fronteira Sul

DOI:

https://doi.org/10.14393/Hygeia0054630

Palavras-chave:

Declaração de Nascimento, Regionalização, Análise Espacial, Gestação, COVID-19/SARS-CoV-2

Resumo

Objetivo: Identificar as vulnerabilidades existentes para gestantes/puérperas no estado de Santa Catarina, ofertando subsídios para elaborar estratégias de enfrentamento à COVID-19. Métodos: Este é um estudo ecológico e exploratório em que foram utilizados dados do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos, Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil e Secretaria de Vigilância em Saúde - Portal Coronavírus Brasil. Foram analisados dados oriundos dos municípios de Santa Catarina compreendendo: IDHm, idade gestacional, número de consultas de pré-natal, número de leitos de UTI adulto e número de casos da COVID-19 notificados. Para identificar vulnerabilidades existentes para gestantes/puérperas considerou-se correlação de Pearson para as variáveis: idade materna (em anos), escolaridade materna, e o número de consultas no pré-natal. Resultados: Foi encontrada correlação negativa entre porcentagem pré-natal (mais que 6 consultas) e porcentagem idade abaixo de 20 anos (r= -0,44); e entre IDH e porcentagem idade abaixo de 20 anos (r= -0,63). Foi observada uma interiorização dos casos da COVID-19 em Santa Catarina. Notou-se uma possível carência de leitos de UTI nas regiões em que há mais vulnerabilidades para gestantes e puérperas. Considerações finais: As informações sobre a COVID-19 em gestantes/puérperas não são numerosas, contudo, a partir da análise das condições sociais e de saúde dos municípios no estado de Santa Catarina, podemos inferir as áreas que demandam maior investimento/atenção das autoridades sanitárias, em função das vulnerabilidades encontradas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-06-25

Como Citar

WAGNER, A.; SOARES, A. S.; RIBEIRO, E. A. W. .; FRIESTINO, J. K. O.; LOVATTO, M. V. P.; FARIA, R. M.; WEISSHEIMER, W. A. . VULNERABILIDADES PARA GESTANTES E PUÉRPERAS DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19 NO ESTADO DE SANTA CATARINA, BRASIL . Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], p. 398–406, 2020. DOI: 10.14393/Hygeia0054630. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/54630. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Edição Especial: Dossiê COVID-19