MAPEAMENTO DE COVID-19 E ISOLAMENTO SOCIAL: FERRAMENTAS DE MONITORAMENTO E VIGILÂNCIA EM SAÚDE PÚBLICA

Autores

  • Patricia Sayuri Silvestre Matsumoto Instituto Adolfo Lutz IAL/SP - São Paulo http://orcid.org/0000-0001-7205-7557
  • Marcelo Tenório Crepaldi Universidade Estadual Paulista FCT/UNESP
  • Paulo Sérgio Avanzi Júnior Universidade Estadual Paulista FCT/UNESP
  • Matheus Buttler de Oliveira Universidade Estadual Paulista FCT/UNESP
  • Raisa Maria de Sousa Regala Universidade Estadual Paulista FCT/UNESP
  • Thaís Vasco Rosseal Engenheira Cartógrafa, Universidade Estadual Paulista FCT/UNESP
  • João Pedro Pereira Caetano de Lima Universidade Estadual Paulista FCT/UNESP

DOI:

https://doi.org/10.14393/Hygeia0054553

Palavras-chave:

COVID-19, Mapeamento, Saúde pública

Resumo

Contexto: A pandemia de COVID-19 tem demandado esforços dos sistemas de saúde em todo mundo. Uma análise local e geográfica, elaborada por meio de ferramentas de geotecnologias, é capaz de orientar a tomada de decisão e definir áreas prioritárias ao enfrentamento dessa nova doença. Objetivo: O presente estudo faz parte do esforço do Laboratório de Biogeografia e Geografia da Saúde da UNESP de Presidente Prudente para dar suporte à tomada de decisão em situação de emergência em saúde pública. Para isso, tem como objetivo analisar a concentração de casos suspeitos de COVID-19 em Presidente Prudente – SP, Brasil, considerando também as medidas de isolamento social. Metodologia: Os dados são oriundos da Secretaria Municipal de Saúde de Presidente Prudente (de 28/02/2020 a 30/04/2020) e do Estado de São Paulo. Utilizamos uma API de geocodificação do Google Maps e elaboramos os mapeamentos em Sistema de Informação Geográfica. Calculamos a função K de Ripley dos casos de COVID-19, aplicamos o estimador de intensidade de Kernel e cruzamos as áreas de maiores concentrações dos casos com variáveis socioeconômicas do IBGE (menor renda, maior número de idosos e habitantes) para a identificação de áreas vulneráveis. Resultados: Os casos em Presidente Prudente estão aglomerados de 0,4 a 3,4 km. Identificamos cinco áreas de maior intensidade dos casos da doença, tanto em áreas mais centrais como mais distantes, das quais, por vulnerabilidade, as zonas quatro e dois são indicadas como prioritárias para o desenvolvimento de ações de monitoramento e vigilância. Também identificamos baixo índice médio de isolamento social em Presidente Prudente (46%), abaixo dos valores recomendados (>70%) que, por sua vez, estão correlacionados negativamente (-0,52, p-valor<0.05) com os casos de COVID-19 quatro dias após as taxas de isolamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-06-20

Como Citar

MATSUMOTO, P. S. S.; TENÓRIO CREPALDI, M.; AVANZI JÚNIOR, P. S. .; BUTTLER DE OLIVEIRA, M. .; DE SOUSA REGALA, R. M. .; VASCO ROSSEAL, T. .; PEREIRA CAETANO DE LIMA, J. P. . MAPEAMENTO DE COVID-19 E ISOLAMENTO SOCIAL: FERRAMENTAS DE MONITORAMENTO E VIGILÂNCIA EM SAÚDE PÚBLICA . Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, [S. l.], p. 298–311, 2020. DOI: 10.14393/Hygeia0054553. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/54553. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Edição Especial: Dossiê COVID-19