Impressos estudantis secundaristas como fonte para a História da Educação: potencialidades e desafios no processo de produção de um repertório sobre o Sul de Mato Grosso (Brasil)

Conteúdo do artigo principal

Kênia Hilda Moreira
https://orcid.org/0000-0002-0265-4783
Ana Maria de Oliveira Galvão
https://orcid.org/0000-0001-9063-8267

Resumo

Apresenta reflexões metodológicas decorrentes da experiência de repertoriar a imprensa periódica estudantil, como fonte potencial de pesquisas para a História da Educação, a partir dos procedimentos de localização e da análise de 10 impressos estudantis de nível secundário, produzidos no sul de Mato Grosso, entre 1934 a 1998. A análise dos elementos materiais de produção permitiu algumas conjecturas interpretativas sobre o repertório em questão. Como categorias temáticas levantamos: Cultura estudantil; instituição escolar secundária; feminismo/mulher; e cinema e educação, cientes de que os impressos, como fonte, permitem muitas outras. O largo tempo que abrange esse repertório apresenta a vantagem de poder investigar as mudanças e as permanências em torno da produção e das temáticas elencadas nos referidos impressos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Moreira, K. H., & Galvão, A. M. de O. (2022). Impressos estudantis secundaristas como fonte para a História da Educação: potencialidades e desafios no processo de produção de um repertório sobre o Sul de Mato Grosso (Brasil). Cadernos De História Da Educação, 21(Contínua), e081. https://doi.org/10.14393/che-v21-2022-81
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Kênia Hilda Moreira, Universidade Federal da Grande Dourados (Brasil)

https://orcid.org/0000-0002-0265-4783
http://lattes.cnpq.br/0719411495759181
keniamoreira@ufgd.edu.br

Ana Maria de Oliveira Galvão, Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil)

https://orcid.org/0000-0001-9063-8267
http://lattes.cnpq.br/6102383021147824
anamariadeogalvao@gmail.com

Referências

ABREU, Jayme. A educação secundária no Brasil: Ensaio de identificação de suas características principais. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v. 23, n. 58, p. 26-104, abr.-jun. 1955.

ABREU, Jayme. Ensino médio em geral e ensino secundário. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v. 35, n. 81, p. 7-24, jan. / mar. 1961.

AGUIAR, Cintia M. R.; ASSIS, Jacira H. do V. P. De olho na fonte: caracterizando impressos periódicos educacionais para uso na pesquisa em história da educação regional. Anais eletrônicos da III Jornada Brasileira de Educação e Linguagem/ III Encontro dos Programas de Mestrado Profissionais em Educação e Letras e XII Jornada de Educação de Mato Grosso do Sul, 2018.

AGUIAR, Cintia M. R.; ASSIS, Jacira H. do V. P. Imprensa estudantil no Ensino Secundário – no antigo Sul de Mato Grosso (indiviso): em estudo a materialidade do jornal ABC Literário na década de 1960. Métis: história & cultura, v.18, n.36, p.71-90, jul/dez, 2019. DOI: https://doi.org/10.18226/22362762.v18.n.36.04.

ALVES, Claudia M. C. Os arquivos e a construção de categorias de análise na História da Educação. Anais da XXVI Reunião Anual da ANPED. Poços de Caldas, 2003, p. 1-10.

AMARAL, G. L. do. Os impressos estudantis em investigações da cultura escolar nas pesquisas histórico-institucionais. Revista História da Educação (Online). Porto Alegre, v. 6, n. 11, p. 117-130, jan/jun, 2002.

BONTEMPI JÚNIOR, Bruno. Em defesa de “legítimos interesses”: o ensino secundário no discurso educacional de “O Estado de S. Paulo” (1946-1957). Revista Brasileira De História Da Educação, 6(2 [12]), 121-158, 2012.

BLOCH, Marc. Introdução à história. Lisboa: Publicações Europa-América, 1965.

BRAGHINI, Katya M. Z. 2005. O ensino secundário brasileiro nos anos 1950 e a questão da qualidade de ensino. Dissertação de Mestrado. Programa de Educação: História, Política, Sociedade. PUC-SP, 2005.

BRASIL, Decreto-Lei no 4.244, de 9 de abril de 1942. Lei orgânica do ensino secundário. Brasília: Senado Federal, 1942b. Disponível em: http://www6.senado.gov.br/legislacao/ListaPublicacoes.action?id=7108. Acesso em: 9 jan. 2020.

CASTRO, Padre A. de. História da Missão Salesiana de Mato Grosso - 1894 - 2008 -. Campo Grande - MS: UCDB, 2014. Vol. 1 e 2.

CASASANTA, Guerino. Jornais escolares. São Paulo: Companhia Editora Nacional, v.32, 1939.

CASPARD, Pierre (dir.). La presse d’éducation et d’enseignement, XVIIIe siècle-1940. Répertoire analytique. Paris: INRP. Tome 1: A- C, 1981, 560p.; Tome 2: D-J, 1984, 688p.; Tome 3: K-R, 1986, 566p.; Tome 4: S-Z, 1991, 762p.

CERTEAU, Michel. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária 2011.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Difel; Bertrand Brasil, 1990.

COSTA, Eliezer Raimundo de Souza. Os grêmios escolares e os jornais estudantis: práticas educativas na Era Vargas (1930 – 1945). 249f. 2016. Tese de Doutorado (Educação e Inclusão social). Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

DALLABRIDA, Norberto. Usos sociais da cultura escolar prescrita no ensino secundário. Revista Brasileira de História da Educação. Campinas, v. 12, n. 1, p. 167-192, jan. / abr. 2012.

DARNTON, Robert. O que é a história dos livros? In. DARNTON, R. O beijo de Lamourette: mídia, cultura e revolução. Tradução Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 1990, p. 65-77.

ECO, U. Lector in fabula. Barcelona: Lumen, 1993.

FREINET, Celestin. Le Journal scolaire. Vienne: Rossignol, 1957.

GALVÃO, Ana Maria de O. & MELO, Juliana F. de. Análise de impressos e seus leitores: uma proposta teórica e metodológica para pesquisas em história da educação. In: VEIGA, Cynthia G. & TABORDA DE OLIVEIRA, Marcus A (Org.) - Historiografia da educação: abordagens teóricas e metodológicas. Belo Horizonte [MG]: Fino Traço, 2019, p. 223-259.

GONÇALVES, Arlene da S.; OLIVEIRA, Regina T. C. de. A emergência dos grupos escolares: processo de implantação e de expansão no sul do estado de Mato Grosso (1920-1950). In. Anais do IV Congresso Brasileiro de História da educação. Universidade Católica de Goiás (UCG), Goiânia, 2006, p. 1-10.

JOUHAUD, Chrıstıan. Literatura da experiência no século XVII. Varia Historia. Belo Horizonte, v.35, n.68, p.443-459, mai/ago 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-87752019000200004.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1996.

MACHADO, Constança de Barros. In. ROSA, Maria da Glória Sá. Memória da cultura e da educação em Mato Grosso do Sul: Histórias de Vida. Campo Grande, MS: Editora UFMS, 1990.

MATO GROSSO. Relatório do interventor do Estado de Mato Grosso apresentado ao Presidente Getúlio Vargas. Arquivo Público de Mato Grosso - APMT, Cuiabá - MT, 1939 – 1940.

MARTINS, Ana L. Revistas em revista: imprensa e práticas culturais em tempos de República, São Paulo (1890-1922). São Paulo: Edusp, FAPESP, 2008.

MARQUES, Inês V.; IRALA, Clóvis. Acervos públicos e arquivos escolares: fontes para o estudo da história das instituições educativas no sul de Mato Grosso (1940-1977). In: PINTO, Adriana A.; FURTADO, Alessandra C. A história da educação em Mato Grosso do Sul: temas e abordagens. Dourados: Ed. UFGD, 2017, pp. 15-30.

MOREIRA, Kênia H.; SILVA, Jaine M. O Colégio Visconde de Taunay em Campo Grande na década de 1930. Perspectivas em Diálogo: Revista de Educação e Sociedade, v.2, p.106-120, 2015.

MOREIRA, Kênia H.; PASSONE RODRIGUES, Eglem de O. O Ginásio Osvaldo Cruz de Dourados nas páginas do jornal estudantil ABC: ensino secundário no sul de Mato Grosso nos anos 1960. Série-estudos (UCDB), Campo Grande-MS, v.22, n. 46, p.113-136, set./dez. 2017. DOI: https://doi.org/10.20435/serie-estudos.v22i46.999

NOLASCO, Simone R. O Fazer-se Cidadão: O Jornalismo Estudantil nas décadas de 1920 e 1930 no Liceu Cuiabano em Mato Grosso. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Mato Grosso. Cuiabá, MT: UFMT, 2015.

NORA, Pierre. Entre Memória e História – a problemática dos lugares. Projeto História. São Paulo (10), dez., p. 7-29, 1993.

OLIVEIRA, Gilberto A. de; PAES, Ademilson B. Formação e atuação de normalistas mato-grossenses: a trajetória de Maria Constança Barros Machado. In. Anais do VII Congresso Brasileiro de História da educação. Cuiabá-MT, 2013, p. 1-14.

OLIVEIRA, Regina T. C. de; RODRÍGUEZ, Margarita V. A Escola Normal no sul do estado de Mato Grosso (1930-1950). In. Anais do V Congresso Brasileiro de História da educação. Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, 2008, p. 1-19.

OLIVEIRA, Regina T. Cestari de; GONÇALVES, Arlene da S. Iniciativas de Modernização Escolar em Mato Grosso: grupos escolares e formação docente- o sul do estado (1910-1950). Série-Estudos (UCDB), v.1, p.171-191, 2009.

OLIVEIRA, Stella S. de. Implantação e organização do curso ginasial no Sul de Mato Grosso: expressões de um projeto de modernização (1917-1942). 2014. 282f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2014.

ORTIZ, Fernanda R. A escola normal de moças das elites: um estudo das práticas escolares, culturais e sociais do colégio Nossa Senhora Auxiliadora (1946 – 1961). Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2014.

ROCHA, Marcelo P. O ensino secundário no sul do estado de Mato Grosso no contexto das reformas educacionais: o Ginásio Osvaldo cruz (1927-1949). Campo Grande, 2010. 97 f. Dissertação (Mestrado) Universidade Católica Dom Bosco, 2010.

ROSA, Maria da G. Sá. Memória da cultura e da educação em Mato Grosso do Sul: Histórias de Vida. Campo Grande, MS: Editora UFMS, 1990.

ROSA, Maria da G. Sá (Coord.) Maria Constança Barros Machado – Histórias de Vida. Departamento Cultural do Colégio Oswaldo Cruz. Dourados, MS, 1995.

SÁ, Elizabeth Figueiredo; MOREIRA, Kênia Hilda. A morte no cotidiano e no Vida Escolar em Campo Grande-MT. Revista Brasileira de História da Educação. Maringá-PR, v.17, n. 3 (46), p.171-195, jul./set. 2017.

SERRANO, Jonathas; VENÂNCIO FILHO, Francisco. Cinema e Educação. São Paulo: Melhoramentos, 1930.

SILVA, Jaine M. Dimensões educativas do Jornal Vida Escolar: Orgão dos Estudantes, da cidade de Campo Grande, no Sul de Mato Grosso (1934-1936). Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo. São Paulo, SP: USP, 2019.

SILVA, Marijâne S. da. Revista Educação em Mato Grosso (1978-1986): contribuições para a compreensão da imprensa pedagógica do Estado. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Mato Grosso. Cuiabá, MT: UFMT, 2008.

SOUZA, Maria N. G. G. As Meninas do Estado Novo em Campo Grande MT. Breve Estudo do Jornal Escolar Ecos Juvenis (1937-1945). Aquidauana: CEUA/UFMS, monografia de especialização em História Regional, 1999, p. 18-19.

TORRES, Carla M. R.; NASCIMENTO, Maria I. M. Os impressos estudantis e a história da educação. Rev. HISTEDBR On-line, Campinas, v.18, n.2, p.462-482, abr./jun. 2018. DOI: https://doi.org/10.20396/rho.v18i2.8651230

TRUBILIANO Carlos A. B. Imagens Femininas Nos Jornais Mato-Grossenses (1937-1945): Identidade e Controle Social. 124 f. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal da Grande Dourados, 2007.

TRUBILIANO, Carlos A. B.; MARTINS, Carlos Junior. O Colégio Nossa Senhora Auxiliadora e a Revista Ecos Juvenis: educação e imprensa feminina no sertão mato-grossense (1937-1945). Revista Ensaios: Renovações, Rio de Janeiro, 2010, n.4 v. 2, p. 01-16, 2010.