A saúde do corpo e da alma como missão escolar: higienismo, ultramontanismo e o ensino das meninas e moças no Brasil, a partir do Serro, Minas Gerais (1904-1921)

Conteúdo do artigo principal

Danilo Arnaldo Briskievicz
https://orcid.org/0000-0002-7652-1959

Resumo

Analisamos as relações entre a instrução escolar, o higienismo “pedagógico” e ultramontanismo católico no contexto de criação do Colégio Nossa Senhora da Conceição na cidade do Serro/MG, para o atendimento de meninas e moças, em seu orfanato, internato e externato. Investigamos três instituições que operaram em perfeita sincronia no projeto higienista serrano: a Irmandade de Santa Tereza, a Câmara Municipal e a Igreja Católica. Discutimos como o higienismo interferiu na instrução escolar serrana e em suas práticas de ensino no contexto de moralização das crianças órfãs e das meninas e moças. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica para mapeamento, coleta e interpretação de documentos dos arquivos públicos e privados, e para a consulta dos autores especialistas no tema. O resultado obtido é o alargamento da compreensão sobre a forma de atuação da Igreja Católica na moralização popular através de seus colégios confessionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Briskievicz, D. A. . (2021). A saúde do corpo e da alma como missão escolar: higienismo, ultramontanismo e o ensino das meninas e moças no Brasil, a partir do Serro, Minas Gerais (1904-1921). Cadernos De História Da Educação, 20(Contínua), e035. https://doi.org/10.14393/che-v20-2021-35
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Danilo Arnaldo Briskievicz, Instituto Federal de Minas Gerais - Brasil

https://orcid.org/0000-0002-7652-1959
http://lattes.cnpq.br/6628809867630366
doserro@hotmail.com

Referências

ABREU, Raphael Lorenzeto de. Mapa da localização do Serro no estado de Minas Gerais e Brasil. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:MinasGerais_MesoMicroMunicip.svg. Acesso: 16 nov. 2019.

ARQUIVO E. E. DR. JOÃO PINHEIRO DA SILVA. Livro de matrícula. 1908-1909, sem paginação.

ARQUIVO IPHAN SERRO. Jornais. A Voz do Serro, 30/07/1913; A Voz do Serro, 02/12/1913.

ARQUIVO PESSOAL MARIA EREMITA DE SOUZA. Caderno [3] 00-00-0000 Francisco de Assis Gomes Pinheiro [c], sem paginação; Caderno [32] 00-00-1975 Sem capa [f], sem paginação; Caderno [139] 25-06-1987 Hibisco, sem paginação.

ARRIADA, Eduardo; NOGUEIRA, Gabriela Medeiros; VAHL, Mônica Maciel. A sala de aula no século XIX:disciplina, controle, organização. Conjectura, Caxias do Sul/RS, v. 17, n. 2, p. 37-54, maio/ago.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 2. ed. Lisboa: Edições 70, 2011.

BRISKIEVICZ, Danilo Arnaldo. A arte da crônica e suas anotações: história das Minas do Serro do Frio à atual cidade do Serro em notas cronológicas. (14/03/1702 a 14/03/2003). Porto Alegre: Revolução E-book – Simplíssimo, 2017.

CHALHOUB, Sidney. Cidade febril: cortiços e epidemias na Corte Imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

DIAS, Beatriz Danúbia. O colégio nossa senhora das dores: vestígios de uma prática educacional confessional na segunda metade do século XIX. In: Anais: SIMPÓSIO NORDESTE DA ABHR, II, 2015, Recife/PE.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: formação do estado e civilização. Volume 2. Rio de Janeiro: Zahar, 1993.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: uma história dos costumes. Volume 1. 2.ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1994.

FREIRE, Geraldo Azevedo. Caminhos da memória. Belo Horizonte: Mazza Edições, 1997.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. Curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, 2005.

GUERRA, Zenaide Generoso. Memórias do meu passado. Belo Horizonte: Edição da Autora, 1988.

LAGE, Ana Cristina Pereira. Conexões vicentinas: particularidades políticas e religiosas da educação confessional em Mariana e Lisboa oitocentistas. 2011. 246 f. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação – Doutorado em Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

LOURO, Guacira Lopes. Mulheres na sala de aula. In.: PRIORE, Mary Del (org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo, Contexto, 2000.

LUSTOSA, Oscar Figueiredo . A Igreja Católica no Brasil e o regime republicano. São Paulo: Ed. Loyola – CEPEHIB, 1990.

MALUF, Marina; MOTT, Maria Lúcia. Recônditos do mundo feminino. In: História da vida privada no Brasil. República: da Belle Époque à Era do Rádio. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

MINAS GERAIS. Decreto nº 1.1960, de 16 de dezembro de 1906. Regulamento da Instrucção Primária e Normal do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, 1906.

MUNIZ, Diva do Couto G. O império, o piano e o ensino da “miserável música” em Minas Gerais do século XIX. In: COSTA, Cléria Botelho da; MACHADO, Maria Salete Kern (orgs.). Imaginário e história. São Paulo: Marco Zero, 1999

NUNES, Alcebíades. Dos meus escriptos. Niterói/RJ: Escolas Profissionais Salesianas, 1931.

OLIVEIRA SOBRINHO, Afonso Soares de. São Paulo e a ideologia higienista entre os séculos XIX e XX: a utopia da civilidade. Sociologias, Porto Alegre/RS, ano 15, n. 32, jan./abr. 2013, p. 210-235. https://doi.org/10.1590/S1517-45222013000100009

PIRES, Maria de Lourdes Moreira. Valores do Serro. Uma coletânea de perfis serranos. Contagem: s.e., 2015.

RAYMUNDO, Gislene Miotto Catolino. Os princípios da modernidade nas práticas educativas dos jesuítas. 1998. 143 f. Dissertação (Mestrado) – Programa Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 1998.

SANT’ANNA, Thiago. Construindo escolas para meninas, construindo meninas nas escolas: experiências femininas na educação em Goiás (1870-1930). Em Tempo de Histórias, Brasília/DF, n. 7, 2003.

SILVA, Alcebíades Nunes de Ávila e. Álbum do Bicentenário 1714-1914. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1914, n.p.