Memórias de gestores de escolas rurais durante a Ditadura Civil-Militar brasileira (1964-1985)

Conteúdo do artigo principal

Darciel Pasinato
https://orcid.org/0000-0003-4167-2025

Resumo

O objetivo do artigo é investigar as memórias de gestores das Escolas Aníbal Magni e Frei Anselmo, localizadas no interior do município de Selbach, no norte do Rio Grande do Sul, no período que compreende a Ditadura Civil-Militar brasileira entre 1964 e 1985. Estudando as vinculações estabelecidas entre as instituições e os procedimentos pelos quais as representações da institucionalização destas escolas foram estabelecidas, é que se pode perceber e entender atitudes e condutas históricas produzidas coletivamente. Com foco no eixo das instituições escolares, tem a Memória como pressuposto teórico e utiliza a metodologia da História Oral. Por fim, no que diz respeito ao perfil dos gestores escolares, prevalece o foco no pedagógico, dado que os gestores eram responsáveis por conduzir questões de ensino e aprendizagem, ao lado dos docentes. Consideremos que os gestores colaboraram com a educação das comunidades onde atuaram, tornando-se evidente nas narrativas de memória, no reconhecimento que recebem dos seus ex-alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Pasinato, D. . (2020). Memórias de gestores de escolas rurais durante a Ditadura Civil-Militar brasileira (1964-1985). Cadernos De História Da Educação, 20(Contínua), e007. https://doi.org/10.14393/che-v20-2021-7
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Referências

ALBERTI, Verena. Histórias dentro da história. In: PINSKY, Carla Bassanezi (Org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2006. p. 155-202.

BORNE, Dominique. Comunidade de memória e rigor crítico. In: BOUTIER, Jean; JULIA, Dominique. Passados recompostos: campos e canteiros da história. Rio de Janeiro: UFRJ/FGV, 1998, p. 133-141.

BOSI, Ecléa. Memória e sociedade: lembranças de velhos. São Paulo: Companhia das Letras, 1994

BRASIL. Constituição Federal do Brasil (1967). Brasília: Senado, 1967.

CASTRO, Marcos de. 64: conflito igreja x estado. Rio de Janeiro: Vozes, 1984.

CERTEAU, Michel de. A cultura no plural. Tradução: Enid Abreu Dobránsky. 7.ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

CHARTIER, Roger. A História Cultural entre práticas e representações. Portugal: DIFEL – Difusão Editorial S.A., 1990.

COMPARATO, Fábio Konder. Educação, Estado e Poder. São Paulo: Brasiliense, 1987.

COUTO, Ronaldo Costa. História indiscreta da ditadura e da abertura: Brasil 1964-1985. 3.ed. Rio de Janeiro: Record, 1999.

CURY, Carlos Roberto Jamil; NOGUEIRA, Maria Alice. O atual discurso dos protagonistas das redes de ensino. In: CUNHA, Luiz Antônio (Org.). Escola pública, escola particular e a democratização do ensino. São Paulo: Autores Associados, 1986, p. 65-93.

DELGADO, Lucilia de Almeida Neves; PASSOS, Mauro. Catolicismo: direitos sociais e direitos humanos (1960-1970). In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucilia de Almeida Neves (Orgs.). O tempo da ditadura: regime militar e movimentos sociais em fins do século XX. 3.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009. p. 93-129.

EVANGELISTA, Abigail Bastos. A gestão de escolas rurais no contexto das políticas públicas de educação do campo. 2016. 172f. Tese (Doutorado em Educação Escolar) – Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, 2016.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. 12.ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

FINGER, Marcos et al. Trabalho de Sociologia: a História do Município de Selbach. Escola Agrotécnica Federal de Sertão, 1996.

FONSECA, Selva Guimarães. Caminhos da história ensinada. 3.ed. Campinas, SP: Papirus, 1995.

GRAZZIOTIN, Luciane Sgarbi Santos; KREUTZ, Lucio. Processo de escolarização e formação docente dos professores nas antigas colônias de imigração italiana no nordeste do Rio Grande do Sul (1920-1940). In: VIII CONGRESSO Luso-Brasileiro de História da Educação, 2010, São Luís (MA). Anais Eletrônicos, Infância, juventude e relações de gênero. São Luís (MA), p. 1-18, 2010.

HORTA, José Silvério Baía. A Educação no Congresso Constituinte de 1966-67. In: FÁVERO, Osmar (Org.). A Educação nas constituintes brasileiras 1823-1988. 2.ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2001. p. 201-239.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Tradução: Gizele de Souza. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, SP, n. 1, p. 9-44, jan./jun. 2001.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: Editora Unicamp, 2003.

LIRA, Alexandre Tavares do Nascimento. A legislação da educação no Brasil durante a ditadura militar (1964-1985): um espaço de disputas. 2010. 367f. Tese (Doutorado em História Social) – Programa de Pós-Graduação em História Social, Universidade Federal Fluminense, 2010.

MACHADO, Cláudia Aparecida Ferreira. A infância na escola rural de Montes Claros (MG) da década de 1960 à de 1980: memórias e representações de professores. História Oral, v. 19, n.2, p.133-153, jul./dez. 2016.

NASCIMENTO, Thiago Rodrigues. A criação das licenciaturas curtas no Brasil. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.45, p.340-346, mar.2012. https://doi.org/10.20396/rho.v12i45.8640153

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Tradução: Yara Aun Khoury. Projeto História, n. 10, p. 7-28, dez. 1993.

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Tradução: Dora Rocha Flaksman. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p. 3-15, 1989.

PRADO, Luiz Carlos Delorme; EARP, Fábio Sá. O milagre brasileiro: crescimento acelerado, integração internacional e concentração de renda (1967-1973). In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucilia de Almeida Neves (Orgs.). O tempo da ditadura: regime militar e movimentos sociais em fins do século XX. 3.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009. p.207-235.

PREDIGER, Cirlei Ivoni Schuvaab et al. (Orgs.). Linha Floresta: um século de educação, amor e união. Tapera: LEW Editora, 2017.

PREFEITURA Municipal de Selbach. Diagnose: estudo e análise. Secretaria Municipal de Saúde e Meio Ambiente, 1991.

PROST, Antoine. Doze lições sobre a História. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

SAVIANI, Dermeval. A nova lei da educação: trajetória, limites e perspectivas. 9.ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

SAVIANI, Dermeval. O legado educacional do regime militar. Cad. CEDES, v. 28, n. 76, Campinas, p. 291-304, set./dez. 2008. https://doi.org/10.1590/S0101-32622008000300002

SCHNEIDER, Inque; WENTZ, Neusa Maria Erbes. Um povo e suas histórias. Prefeitura Municipal de Selbach. Secretaria Municipal de Educação, 1992.

SEGER, Rudi. Brava gente: a história da comunidade de Linha Floresta. Tapera: Gráfica Taperense Ltda, 2002.

SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Castelo a Tancredo, 1964-1985. Tradução: Mario Salviano Silva. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

SMOLENTZOV, Vera Maria Neves; MOTERANI, Geisa Maria Batista. Ditadura militar e a repercussão sobre o currículo oficial no Brasil. Avesso do Avesso, v. 11, n. 11, p. 17-24, nov. 2013.

SOUZA, José Edimar de. As escolas isoladas: práticas e culturas isoladas no meio rural de Lomba Grande/RS (1940-1952). 2015. 292f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, 2015.

SOUZA, José Edimar de. A escola isolada: contribuições e processos de escolarização em Novo Hamburgo, RS (1940-1952). Série-Estudos, Campo Grande, MS, v. 24, n. 50, p. 219-238, jan./abr. 2019. https://doi.org/10.20435/serie-estudos.v24i50.1131

STEPHANOU, Maria; BASTOS, Maria Helena Câmara. História, memória e história da educação. In: STEPHANOU, Maria; BASTOS, Maria Helena Câmara (Orgs.). História e memórias da educação no Brasil. Petrópolis, RJ: Vozes, 2005, v. 3, p. 416-430.

THOMPSON, Paul. História oral e contemporaneidade. Tradução: Andréa Zhouri e Lígia Maria Leite Pereira. História Oral, v. 5, p. 9-28, 2002.

VIÑAO, Antonio. Las autobiografias, memórias y diários como fuente histórico-educativa: tipologia y usos. Revista Teias, Rio de Janeiro, n. 1, p. 82-97, 2000.

VILLA, Marco Antonio. Ditadura à brasileira: 1964-1985: a Democracia Golpeada à Esquerda e à Direita. São Paulo: LeYa, 2014.

WEBER, Maria Cristina Backes; HOLZ, Nilsa Maria. A história de Arroio Grande. Tapera: Gráfica Taperense Ltda, 1999.

WENCZENOVICZ, Thaís Janaina; SAAB, Ana Laura Ferreira. Identidade e memória docente: uma perspectiva de ressignificação histórico-social no Alto Uruguai (Corede Norte). Revista Conexão UEPG, v.15, n.1, p.106-113, jan./abr. 2019. https://doi.org/10.5212/Rev.Conexao.v.15.i1.0014

WERLE, Flávia Obino Corrêa. Escola normal rural: espaço de formação de grupos dirigentes. Olhar de professor, Ponta Grossa, v.15, n.1, p.33-39, 2012. https://doi.org/10.5212/OlharProfr.v.15i1.0002

Fontes orais

ADALBERTO [76 anos]. [dez. 2019]. Entrevistador: Darciel Pasinato. Selbach, RS, 09 dez. 2019.

ALICE [76 anos]. [dez. 2019]. Entrevistador: Darciel Pasinato. Selbach, RS, 10 dez. 2019.

ISABEL [78 anos]. [dez. 2019]. Entrevistador: Darciel Pasinato. Selbach, RS, 11 dez. 2019.

JOÃO [85 anos]. [dez. 2019]. Entrevistador: Darciel Pasinato. Selbach, RS, 12 dez. 2019.

LUCIANE [74 anos]. [dez. 2019]. Entrevistador: Darciel Pasinato. Selbach, RS, 12 dez. 2019.

MAURA [65 anos]. [dez. 2019]. Entrevistador: Darciel Pasinato. Selbach, RS, 10 dez. 2019.

PEDRO [68 anos]. [dez. 2019]. Entrevistador: Darciel Pasinato. Selbach, RS, 09 dez. 2019