Geomorfologia Fluvial da Bacia Hidrográfica do Ribeirão Jaú - Palmas - TO.

Autores

  • Fernando Morais Universidade Federal do Tocantins - UFT
  • Loiane Melo Almeida Universidade Federal do Tocantins

Resumo

A geomorfologia fluvial de uma bacia hidrográfica é resultante de suas características geológicas, geomorfológica, pedológica, do tipo de cobertura da vegetação e das condições climáticas. Para entender as características do relevo fluvial de uma bacia hidrográfica, a análise morfométrica apresenta-se como uma ferramenta significativa, uma vez que procura mensurar as feições geomorfológicas da bacia. A análise morfométrica abrange um conjunto de índices morfológicos que visa uma abordagem detalhada e quantitativa das bacias de drenagem. Esses índices são calculados com a finalidade de gerar dados geomorfológicos, os quais subsidiarão na caracterização física da bacia de drenagem. Este trabalho visa compreender a geomorfologia fluvial da bacia hidrográfica do Ribeirão Jaú no município de Palmas-TO, mediante um conjunto de materiais e métodos de análise morfométrica. A bacia estudada apresenta uma área de 79,96 km², sendo de 4ª ordem, com um total de 24 canais fluviais. O padrão de drenagem encontrado é o dendrítico, refletindo a estrutura geológica local. O canal fluvial principal, o ribeirão Jaú, possui um comprimento de 18,75 km. Mediante os resultados obtidos dos índices morfométricos, pode-se afirmar que o gradiente de canais indicou que a bacia apresenta uma declividade baixa, embora ela esteja situada na Serra do Lajeado. A densidade de drenagem foi de 0, 81 km/km², revelando que a área apresenta rochas permeáveis com boa capacidade de infiltração, dificultando, assim, o escoamento superficial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Morais, Universidade Federal do Tocantins - UFT

Possui graduação em Licenciatura Plena em Geografia pela Universidade do Tocantins (2000), mestrado em Evolução Crustal e Recursos Naturais pela Universidade Federal de Ouro Preto (2003) e doutorado em Evolução Crustal e Recursos Naturais pela Universidade Federal de Ouro Preto (2007). Atualmente é Professor Adjunto da Universidade Federal do Tocantins, Membro de corpo editorial da Interface (Porto Nacional) e Revisor de periódico da Interface (Porto Nacional). Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geografia Física.

Loiane Melo Almeida, Universidade Federal do Tocantins

Possui graduação em Geografia (Licenciatura) pelo Universidade Estadual do Piauí. Atualmente é estudante de graduação em Geografia (Bacharelado) pela Universidade Federal do Tocantins - Porto Nacional e funcionária pública do Núcleo Estadual do Ministério da Saúde no Tocantins.

Downloads

Publicado

2010-12-26