CONCORRÊNCIA TRANSESCALAR E REAÇÃO DO VAREJO ALIMENTÍCIO LOCAL:

O CASO DO GRUPO BARCELOS EM CAMPOS DOS GOYTACAZES (RJ)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/BGJ-v12n1-a2021-62415

Resumo

As 10 maiores empresas do varejo alimentício no Brasil – transescalares – atualmente são responsáveis por 57% do faturamento do mercado, considerando o universo das 500 maiores no ranking anual da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS). Mesmo nesse contexto de significativa concentração, empresas menores também apresentam relevância econômica e espacial, sobretudo a nível local; entretanto, suas espacializações ainda são pouco exploradas. Esse estudo com o Grupo Barcelos foi conduzido visando compreender suas práticas e estratégias espaciais adotadas frente às modificações ocorridas no urbano de Campos dos Goytacazes (RJ) e ao acirramento da concorrência transescalar na cidade. A partir de revisão bibliográfica, levantamento secundário e trabalho de campo foi observado que, na luta intercapitalista, o comportamento espacial dessa empresa é afetado por e condiciona, em parte, a localização das grandes redes, visto as tipologias distintas que imprimem no urbano campista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camilla Sales Gonçalves, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestranda em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Zandor Gomes Mesquita, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense - Campus Campos Centro (IFFLUMINENSE)

Doutor em Geografia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense - Campus Campos Centro (IFFLUMINENSE)

Leandro Bruno Santos, Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Doutor em Geografia pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), Docente do Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Downloads

Publicado

2021-06-29