O ESTADO NATURAL E O INÍCIO DO CONTRATO SOCIAL: OS FILÓSOFOS POL͍TICOS CLÁSSICOS VERSUS A CIÊNCIA DO SÉCULO XXI

Autores

  • John Marr Ditty Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF)

Resumo

Os filósofos políticos clássicos Hobbes, Locke e Rousseau propuseram visões divergentes sobre o estado natural humano e o processo de formação de arranjos sociais mais complexos, assim iniciando um debate com implicações de alta importância para cientistas sociais e formadores de políticas públicas. O presente estudo investigou as principais afirmações de Hobbes, Locke e Rousseau em relação ao estado de natureza humano e ao contrato social frente a dados atuais provenientes de várias áreas de conhecimento científico, como arqueologia, biologia, antropologia, psicologia e genética. Os resultados indicam que a caracterização de Hobbes de uma tendência à violência por parte de seres humanos pré-estatais é consistente com a literatura científica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

John Marr Ditty, Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF)

Doutorando em Sociologia Política

Downloads

Publicado

2013-12-29

Como Citar

DITTY, J. M. O ESTADO NATURAL E O INÍCIO DO CONTRATO SOCIAL: OS FILÓSOFOS POL͍TICOS CLÁSSICOS VERSUS A CIÊNCIA DO SÉCULO XXI. Brazilian Geographical Journal, Ituiutaba, v. 4, n. 2, 2013. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/braziliangeojournal/article/view/23439. Acesso em: 24 abr. 2024.