Caracterização ecológica e distribuição diamétrica da vegetação arbórea em um remanescente de floresta estacional semidecidual na fazenda experimental do Glória, Uberlândia, MG

Authors

  • Sérgio de Faria Lopes Universidade Federal de Uberlândia
  • Ivan Schiavini Universidade Federal de Uberlândia
  • Jamir Afonso do Prado Júnior Universidade Federal de Uberlândia
  • André Eduardo Gusson Universidade Federal de Uberlândia
  • Antônio Rodrigues Souza Neto Universidade Federal de Uberlândia
  • Vagner Santiago do Vale Universidade Federal de Uberlândia
  • Olavo Custódio Dias Neto Universidade Federal de Uberlândia

Keywords:

Desenvolvimento sucessional, Estrutura diamétrica, Grupos ecológicos, Síndrome de dispersão

Abstract

A combinação de algumas características ecológicas das espécies para a formação dos chamados grupos ecológicos tem ajudado a identificar o significado mais amplo e a validade dos padrões atualmente conhecidos para as diferentes formações vegetais. A partir da análise fitossociológica e da estrutura diamétrica das espécies arbóreas de um fragmento de floresta estacional semidecidual, este estudo pretendeu classificar as espécies em grupos ecológicos e aferir sobre o estado de conservação deste remanescente. Foram amostrados todos os indivíduos arbóreos com CAP > 15 cm, presentes em 25 parcelas (20x20 m) e as espécies foram classificadas por grupos sucessionais e síndrome de dispersão. Foram registrados 976 indivíduos distribuídos em 88 espécies, pertencentes a 38 famílias. A amostragem apresentou uma composição de 42 espécies secundárias iniciais (48,8%), 27 secundárias tardias (31,4%), 16 pioneiras (18,6%) e uma sem classificação (1,2%). O grupo formado pelas secundárias iniciais apresentou maiores valores de densidade e freqüência relativas, enquanto que o grupo formado pelo das espécies secundárias tardias se destacou nos valores de dominância relativa. Em relação à síndrome de dispersão pôde-se observar composição de 60 espécies zoocóricas, 21 anemocóricas e cinco autocóricas. A análise da distribuição de diâmetros para os grupos sucessionais sugeriu problemas na regeneração para o grupo das pioneiras. Estes resultados sugerem que a floresta estudada se encontra num estádio intermediário de desenvolvimento sucessional, direcionando a um estádio tardio, principalmente pela presença e dominância de algumas espécies tardias, bem como, a baixa densidade das espécies pioneiras.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Sérgio de Faria Lopes, Universidade Federal de Uberlândia

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Uberlândia (2001), Mestrado e Doutorado em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais pela Universidade Federal de Uberlândia (2010). Atualmente é bolsista recém-doutor (PNPD), Pós-Doutorado. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: Fragmentos florestais, florestas estacionais, mata de galeria, fitossociologia, cerrado.

Ivan Schiavini, Universidade Federal de Uberlândia

Graduação em Ciencias Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1980), mestrado em Ecologia pela Universidade de Brasília (1983) e doutorado em Ecologia pela Universidade Estadual de Campinas (1992). Atualmente é Professor Associado II da Universidade Federal de Uberlândia. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia de Ecossistemas, atuando principalmente nos seguintes temas: formações florestais no Cerrado, ecologia de comunidades vegetais, cerrado e ecologia de populações vegetais

Jamir Afonso do Prado Júnior, Universidade Federal de Uberlândia

Tem graduação na área de Ciências Biológicas, com ênfase em Ecologia Vegetal. Atualmente é mestrando em Biologia Vegetal pela Universidade federal de Uberlândia, atuando principalmente com fitossociologia e grupos funcionais.

André Eduardo Gusson, Universidade Federal de Uberlândia

Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Uberlândia (2008). Atualmente é bolsista CAPES no Programa de Pós Graduação em Ecologia e Conservação dos Recursos Naturais na Universidade Federal de Uberlândia. Possui experiência na área de ecossistemas florestais, desenvolvendo pesquisas junto ao grupo de trabalho no LEVe - UFU (Lab. de Ecologia Vegetal).

Antônio Rodrigues Souza Neto, Universidade Federal de Uberlândia

Especializando em Gestão Ambiental pela Universidade Católica de Uberlândia (2010), bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Uberlândia (2007) e licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Uberlândia (2006). Atualmente é consultor ambiental.

Vagner Santiago do Vale, Universidade Federal de Uberlândia

Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU - 2005) e mestrado em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais (UFU - 2008). Atualmente é doutorando com bolsa FAPEMIG em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais (UFU). Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia de Ecossistemas, atuando principalmente nos seguintes temas: Conservação e Ecologia de comunidades Vegetais.

Olavo Custódio Dias Neto, Universidade Federal de Uberlândia

Possui graduação em Ciencias Biológicas pela Universidade Federal de Uberlândia (2003) e mestrado em Ecologia e Conservação de Recursos Naturais pela Universidade Federal de Uberlândia (2009). Atualmente é professor da FUNDA

Published

2011-02-24

How to Cite

LOPES, S. de F., SCHIAVINI, I., PRADO JÚNIOR, J.A. do, GUSSON, A.E., SOUZA NETO, A.R., VALE, V.S. do and DIAS NETO, O.C., 2011. Caracterização ecológica e distribuição diamétrica da vegetação arbórea em um remanescente de floresta estacional semidecidual na fazenda experimental do Glória, Uberlândia, MG . Bioscience Journal [online], vol. 27, no. 2. [Accessed23 May 2022]. Available from: https://seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/8176.

Issue

Section

Biological Sciences