Relação entre alumínio e silício em genótipos de milho resistente e sensível a toxidez de alumínio

Authors

  • Vanderlise Giongo Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
  • Humberto Bohnen Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Abstract

Para verificar a relação entre alumínio e silício no crescimento de dois genótipos de milho, um tolerante e outro sensível a toxidez de alumínio, foi realizado um estudo em casa de vegetação, onde foi conduzido um bioensaio com tratamentos que envolveram a presença e ausência de alumínio e silício nos genótipos de milho. Os tratamentos utilizados foram solução de 2,0 mmol L-1 de cálcio (CaCl2) sem e com alumínio (0,025 mmol L-1) na forma de AlCl3 e sem e com silício (0,14 mmol L-1), a partir de uma solução de SiO2. O experimento foi conduzido por um período de cinco dias e para avaliação do efeito dos tratamentos foram medidos o comprimento de raiz, as concentrações de silício, alumínio e cálcio na parte aérea e raízes e o índice mitótico de células meristemáticas de raízes. O silício reduziu o efeito tóxico do alumínio ao crescimento de genótipos de milho avaliado pelo comprimento de raízes. A redução na toxidez de alumínio devido à presença de silício foi relacionada ao aumento do transporte de cálcio para a parte aérea e ao efeito positivo no índice mitótico, principalmente no genótipo sensível ao alumínio.

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2011-06-30

How to Cite

GIONGO, V. and BOHNEN, H., 2011. Relação entre alumínio e silício em genótipos de milho resistente e sensível a toxidez de alumínio . Bioscience Journal [online], vol. 27, no. 3, pp. 348–356. [Accessed28 November 2022]. Available from: https://seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/7386.

Issue

Section

Agricultural Sciences