Crescimento e esporulação de duas espécies de Arthrobotrys corda em diferentes meios de cultura e dois ambientes

Authors

  • Pedro Luiz Martins Soares
  • Márcia de Holanda Nozaki
  • Bruno Flávio Figueiredo Barbosa
  • Jaime Maia dos Santos
  • José Carlos Barbosa

Keywords:

Controle Biologico de Nematoides

Abstract

As pesquisas sobre o controle biológico de nematóides com fungos nematófagos têm se intensificado nos últimos anos. O conhecimento das condições ecológicas adequadas ao crescimento e esporulação desses fungos é um pré-requisito para obtenção de culturas puras que atendam à demanda para formulação desses organismos. Com o objetivo de avaliar o crescimento micelial e a esporulação de Arthrobotrys musiformis e A. oligospora em dois ambientes (B.O.D. a 25 ± 1ºC e ambiente do Laboratório), foram testados 20 meios de cultura preparados com materiais comumente encontrado nas comunidades e meios industrializados tradicionais, tais como ágar micológico, BDA e CMA. Os meios foram testados em placas de Petri, sendo que o crescimento micelial dos fungos foi avaliado diariamente, durante seis dias. A esporulação foi mensurada estimando-se o número de conídios/placa, ao final do experimento. O experimento foi conduzido no delineamento inteiramente casualizado, seguindo um esquema fatorial 20 x 2 x2, correspondendo a 20 meios, dois fungos e dois ambientes, com cinco repetições. A análise de variância dos dados evidenciou diferença estatística significativa pelo Teste F, a 1% de probabilidade, para a interação meio x ambiente x fungo. Cinqüenta por cento dos meios testados foram adequados para o crescimento micelial de A. musiformis, não diferindo estatisticamente entre si, a saber: meio de farinha de mandioca (FM), polvilho doce (PD), "corn meal ágarâ€? (CMA), aveia em flocos finos (AFF), ágar-água (AA), ágar micológico (AM), batata dextrose ágar (BDA), farinha de milho (FMI), farinha de trigo (FT) e trigo para quibe (TK). Para A. oligospora, 75% dos meios testados propiciaram o crescimento máximo do fungo, no período, quais sejam: AFF, AM, FM, PD, CMA, AA, BDA, FT, TK, decoto de arroz (AAZ), arroz em grãos (AZG), arroz triturado (AZT), farinha de rosca (FR), farinha de aveia (FA), aveia em flocos grossos (AFG) e fubá (FU). Em relação à esporulação, os meios que se destacaram para A. musiformis, em ordem decrescente, foram: FR, TK, AFG, BDA, FA, AFF, AM, FMI, AZT e FM, variando entre 1,01 x 106 e 1,4 x 104 conídios/placa. Para a esporulação de A. oligospora o meio CMA propiciou a máxima esporulação com média estimada de 5,7 x 106 conídios/placa. No geral, os melhores meios para o crescimento micelial e esporulação de A. musiformis, também o foram para A. oligospora, mas alguns que se destacaram para A. oligospora não foram eficazes para o crescimento micelial ou a esporulação de A. musiformis, indicando que o isolado de A. musiformis utilizado é mais exigente que o de A. oligospora. Evidencias do estudo indicam que, em Jaboticabal, o crescimento e a esporulação desses fungos não demandam câmaras especiais, bastando apenas adaptações de ambientes do laboratório visando à obliteração da luz.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Pedro Luiz Martins Soares

Professor Substituto

Márcia de Holanda Nozaki

Eng. Agr. Doutora

Bruno Flávio Figueiredo Barbosa

Mestrando

Jaime Maia dos Santos

Professor Assistente

José Carlos Barbosa

Professor Titular

Published

2009-04-28

How to Cite

MARTINS SOARES, P.L., NOZAKI, M. de H., FIGUEIREDO BARBOSA, B.F., SANTOS, J.M. dos and BARBOSA, J.C., 2009. Crescimento e esporulação de duas espécies de Arthrobotrys corda em diferentes meios de cultura e dois ambientes. Bioscience Journal [online], vol. 25, no. 2. [Accessed29 May 2022]. Available from: https://seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/6883.

Issue

Section

Artigos