Polinização e sistema reprodutivo de Acanthaceae Juss. no Brasil: uma revisão

Authors

  • Raphael Matias da Silva Universidade Federal de Goiás
  • Hélder Nagai Consolaro Universidade Federal de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.14393/BJ-v31n3a2015-23979

Abstract

Estudos que envolvem aspectos da polinização e sistema reprodutivo em Angiospermas são fundamentais para a compreensão de diversos processos ecológicos e evolutivos. Desta forma, foi realizada uma revisão bibliográfica com o objetivo de compilar informações sobre a polinização e o sistema reprodutivo encontrados na família Acanthaceae Juss. no Brasil. Um total de 30 estudos, com 31 espécies, fizeram parte da presente revisão. Quanto a distribuição geográfica e domínio fitogeográfico, a região Sudeste (50%) e o bioma Mata Atlântica (56,7%) apresentaram a maior proporção de estudos. Quatro síndromes de polinização foram registradas, sendo elas: troquilofilia, melitofilia, psicofilia e quiropterofilia, sendo a troquilofilia predominante (79,31% das espécies). Consequentemente, beija-flores foi o grupo mais comum de visitantes florais, interagindo com 86,2% das espécies, sendo Phaethornis pretrei o principal beija-flor visitante. Outros grupos de visitantes também foram registrados, como abelhas (segundo principal grupo), borboletas, morcegos, mariposas, vespas, moscas e besouros. Das 17 espécies estudadas no Brasil quanto ao sistema reprodutivo, todas apresentaram flores andróginas, sendo 16 espécies (94,1%) autocompatíveis. Fatores intrínsecos como a hercogamia e a dicogamia foram comuns em espécies de Acanthaceae, constituindo mecanismos que minimizam a interferência entre as funções masculina e feminina em flores andróginas e maximizam a polinização cruzada. Aproximadamente, 41,2% das espécies exibiram autopolinização espontânea, isto é, produção de frutos sem a necessidade de agentes polinizadores. Estratégias reprodutivas como a cleistogamia e a agamospermia também foram registradas nas espécies de Acanthaceae no Brasil. Contudo, mais estudos a respeito da polinização e sistema reprodutivo com acantáceas brasileiras precisam ser desenvolvidos, para ampliar a amostragem e, então subsidiar mais as estimativas desta revisão.

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2015-05-16

How to Cite

SILVA, R.M. da and CONSOLARO, H.N., 2015. Polinização e sistema reprodutivo de Acanthaceae Juss. no Brasil: uma revisão . Bioscience Journal [online], vol. 31, no. 3, pp. 890–907. [Accessed14 June 2024]. DOI 10.14393/BJ-v31n3a2015-23979. Available from: https://seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/23979.

Issue

Section

Biological Sciences