Biodegradação do bagaço de cana-de-açúcar por microrganismos ruminais de caprinos e ovinos

Authors

  • Gil Mario Ferreira Gomes Universidade Estadual Vale do Acaraú
  • Maria de Vasconcelos Universidade Estadual Vale do Acaraú
  • Antonio Silvio do Egito Embrapa Caprinos e Ovinos
  • Jailton da Costa Carneiro Embrapa Gado de Leite
  • Natália Lívia de Oliveira Fonteles Universidade Estadual Vale do Acaraú
  • Hévila Oliveira Salles Embrapa Caprinos e Ovinos

DOI:

https://doi.org/10.14393/BJ-v31n1a2015-22034

Abstract

No presente estudo objetivou-se avaliar a degradação do bagaço de cana-de-açúcar (BCA) integral (BIN) ou hidrolisado (BH) pela microbiota ruminal de caprinos e ovinos de raças naturalizadas do Nordeste brasileiro e o potencial desses animais como fontes de microrganismos e/ou enzimas celulolíticas para degradação da fibra do BCA. Para hidrólise do BCA foi utilizada uma solução de NaOH a 50%, 30% na matéria seca (MS). Foram determinadas as concentrações de MS, proteína bruta (PB), cinzas (CZ), fibra detergente neutro (FDN), fibra detergente ácido (FDA), celulose (Cel), hemicelulose (Hcel) e lignina (Lig). A degradação in situ da FDN foi determinada pela incubação ruminal em sacos de náilon do BH nos tempos: 0, 6, 24 e 96 horas. A técnica de duas etapas preconizada por Tilley e Terry foi utilizada para determinar a digestibilidade in vitro da MS (DIVMS). Foi coletado conteúdo ruminal dos animais quatro horas após a infusão de 100g de BIN via fístula ruminal para a separação de microrganismos associados às fases líquida e sólida, utilizando tampão fosfato de sódio 50 mM, pH 6,9. A fração sólida foi submetida ao cultivo in vitro com o substrato BIN, por 96 horas, para determinação da taxa de degradação da MS, FDN e atividade celulolítica. O pH foi determinado nos tempos de cultivo de 24, 48 e 96 horas. O pré-tratamento com NaOH aumentou a DIVMS (P<0,05). Não houve efeito de espécie sobre a DIVMS (P>0,05). A inclusão de NaOH aumentou a degradação in situ da FDN, apresentando os ovinos menor tempo de colonização (TC). Houve solubilização da Hcel, da Cel e da Lign no BCA pré-tratado com NaOH. A atividade celulolítica se concentrou na fração sólida independente da espécie doadora do inóculo, sendo observado crescimento microbiano no cultivo in vitro do BIN à partir dessa fração. O pH aumentou com o tempo de cultivo in vitro. Microrganismos ruminais de Caprinos e ovinos naturalizados do Nordeste brasileiro colonizaram e degradaram o BIN e BH. O NaOH pode ser utilizado no pré-tratamento alcalino do BCA. 

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2015-01-06

How to Cite

GOMES, G.M.F., DE VASCONCELOS, M., DO EGITO, A.S., CARNEIRO, J. da C., FONTELES, N.L. de O. and SALLES, H.O., 2015. Biodegradação do bagaço de cana-de-açúcar por microrganismos ruminais de caprinos e ovinos . Bioscience Journal [online], vol. 31, no. 1, pp. 204–214. [Accessed4 December 2022]. DOI 10.14393/BJ-v31n1a2015-22034. Available from: https://seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/22034.

Issue

Section

Agricultural Sciences