Ciclagem do nitrogênio pela parte aérea do milho submetido a doses de dejeto líquido de suínos

Authors

  • Lucindo Somavilla Universidade Federal de Santa Maria
  • Claudir José Basso Universidade Federal de Santa Maria
  • Cristiano Fabbris Universidade Federal de Santa Maria
  • Clovis Orlando Da Ros Universidade Federal de Santa Maria
  • Vanderlei Rodrigues da Silva Universidade Federal de Santa Maria
  • Marlo Adriano Bison Pinto Universidade Federal de Santa Maria
  • Thiarles Brun Universidade Federal de Santa Maria
  • Gustavo Henrique Demari Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.14393/BJ-v31n2a2015-21867

Keywords:

Acúmulo de nitrogênio, nitrogênio amoniacal, recuperação aparente

Abstract

A aplicação de dejeto líquido de suínos como alternativa de adubação é cada vez mais frequênte na agricultura brasileira, entretanto a falta de sincronismo entre a disponibilidade e demanda de nutrientes pelas culturas geram acúmulos de elementos químicos no solo propensos a causar riscos ao ambiente. Desta forma, o presente trabalho teve por objetivo avaliar a recuperação aparente do nitrogênio pelas diferentes frações da parte aérea do milho cultivado com doses de dejeto líquido de suínos, em solo submetido a diferentes manejos na implantação da cultura de inverno. O delineamento experimental foi em blocos ao acaso, com quatro repetições, em esquema fatorial sendo que os tratamentos constaram da interação de doses de dejeto (0, 20, 40 e 80 m3 ha-1) mais um tratamento com adubação mineral seguindo as recomendações técnicas para a cultura, e ainda três manejos de solo (plantio direto, escarificado e cultivo mínimo) realizados na implantação da cultura da aveia branca, que antecedeu o milho. Os manejos de solo não afetaram o aproveitamento de nitrogênio aplicado via dejeto líquido de suínos. A aplicação de dejeto líquido de suínos promoveu incrementos lineares ao acúmulo de nitrogênio pela parte aérea do milho, no entanto, com o aumento das doses reduziu-se o aproveitamento do nitrogênio pela cultura, o que pode potencializar sua perda do sistema e contaminação ambiental. Aproximadamente 70% do nitrogênio do dejeto líquido de suínos adicionado ao solo não são recuperados pela parte aérea da cultura do milho.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Lucindo Somavilla, Universidade Federal de Santa Maria

Eng. Agrônomo pela UFSM Campus Frederico Westphalen, mestrando no Programa de pós Graduação em Agronomia Agricultura e Ambiente da mesma instituição.

Claudir José Basso, Universidade Federal de Santa Maria

Docente do Programa de Pós Graduação em Agronomia Agricultura e Ambiente.

Cristiano Fabbris, Universidade Federal de Santa Maria

Mestrando no Programa de Pós Graduação em Agronomia Agricultura e Ambiente.

Clovis Orlando Da Ros, Universidade Federal de Santa Maria

Chefe do Departamento de Ciências Agronômicas e Ambientais.

Vanderlei Rodrigues da Silva, Universidade Federal de Santa Maria

Docente do Programa de Pós Graduação em Agronomia Agricultura e Ambiente.

Marlo Adriano Bison Pinto, Universidade Federal de Santa Maria

Discente em Agronomia.

Thiarles Brun, Universidade Federal de Santa Maria

Discente em Agronomia

Gustavo Henrique Demari, Universidade Federal de Santa Maria

Mestrando no Programa de Pós Graduação em Agronomia Agricultura e Ambiente

Published

2015-01-08

How to Cite

SOMAVILLA, L., BASSO, C.J., FABBRIS, C., DA ROS, C.O., DA SILVA, V.R., PINTO, M.A.B., BRUN, T. and DEMARI, G.H., 2015. Ciclagem do nitrogênio pela parte aérea do milho submetido a doses de dejeto líquido de suínos . Bioscience Journal [online], vol. 31, no. 2. [Accessed26 May 2022]. DOI 10.14393/BJ-v31n2a2015-21867. Available from: https://seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/21867.

Issue

Section

Agricultural Sciences