Caracterização química da castanha de sapucaia (Lecythis pisonis Cambess.) da região da zona da mata mineira

Authors

  • Izabela Maria Montezano de Carvalho Universidade Federal de Viçosa
  • Lívia Dias Queirós Universidade Estadual de Campinas
  • Larissa Froede Brito Universidade Federal de Viçosa
  • Fernando Almeida Santos Universidade Federal de Viçosa
  • Ana Vládia Moreira Universidade Federal de Viçosa
  • Agostinho Lopes de Souza Universidade Federal de Viçosa
  • José Humberto de Queiroz Universidade Federal de Viçosa

Abstract

Atualmente as castanhas têm recebido atenção especial, pois são fontes naturais de vitaminas, minerais, proteínas e ácidos graxos essenciais, podendo assim contribuir para a dieta humana e de animais. Pesquisas recentes confirmam que esses alimentos são fontes ainda de compostos bioativos, os quais podem trazer benefícios significativos à saúde humana. Este trabalho teve como objetivo avaliar a composição química de castanhas da espécie sapucaia (Lecythis pisonis Cambess.) localizadas na zona da mata mineira. Foram analisadas a composição centesimal (lipídios, proteínas, carboidratos, cinzas e umidade), teor de minerais por espectrometria de plasma e perfil lipídico por cromatografia gasosa. A composição centesimal revelou 54,8% de lipídios; 26,82% de proteínas; 5,01% de carboidratos; 3,17% de cinzas e 10,2% de umidade. Quanto ao perfil lipídico, 43,1% eram ácidos graxos polinsaturados, 41,7% ácidos graxos monoinsaturados e 15,2% ácidos graxos saturados. Os minerais fósforo, magnésio e manganês se destacaram pelos elevados teores, 941; 343 e 4,8 mg.100-1, respectivamente. A castanha de sapucaia é uma potencial fonte energético-protéica e de minerais importantes para a saúde, mas deve ter sua toxicidade avaliada.

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2012-12-21

How to Cite

CARVALHO, I.M.M. de, QUEIRÓS, L.D., BRITO, L.F., SANTOS, F.A., MOREIRA, A.V., SOUZA, A.L. de and QUEIROZ, J.H. de, 2012. Caracterização química da castanha de sapucaia (Lecythis pisonis Cambess.) da região da zona da mata mineira . Bioscience Journal [online], vol. 28, no. 6, pp. 971–977. [Accessed8 December 2022]. Available from: https://seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/14063.

Issue

Section

Agricultural Sciences