Mapeamento de picão preto resistente aos herbicidas inibidores da ALS na região sul mato-grossense

Authors

  • Fábio Henrique Rojo Baio Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Lucinéia Freitas Pires Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Germison Tomquelski Fundação Chapadão

Abstract

Quando herbicidas com o mesmo mecanismo de ação são utilizados repetidamente por vários anos, biótipos resistentes de plantas daninhas, de ocorrência natural, podem sobreviver ao tratamento, propagar e passar a dominar a área. Objetivou-se com este trabalho identificar e mapear as plantas de picão preto (Bidens pilosa) resistente aos herbicidas inibidores da ALS (acetolactatosintase) na região Sul Mato-Grossense. Foi utilizado o método de contorno das reboleiras, que se define pelo caminhamento ao redor das áreas de ocorrência da planta. Biótipos de picão preto foram avaliados em relação a sua resistência aos herbicidas inibidores de ALS pela utilização de dosagens crescentes de um herbicida em parcelas experimentais instaladas na área. A metodologia testada para o mapeamento de picão preto pelo contorno das reboleiras foi eficaz para as condições avaliadas. O mapa geoespacial da planta daninha foi obtido, possibilitando seu uso para a aplicação localizada de herbicidas. Houve regiões do talhão onde o picão preto não estava presente. A área em estudo estava infestada de biótipos de picão preto com alguma resistência ao herbicida utilizado, que não fora eficaz.

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2013-03-04

How to Cite

BAIO, F.H.R., PIRES, L.F. and TOMQUELSKI, G., 2013. Mapeamento de picão preto resistente aos herbicidas inibidores da ALS na região sul mato-grossense . Bioscience Journal [online], vol. 29, no. 1, pp. 59–64. [Accessed4 December 2022]. Available from: https://seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/13453.

Issue

Section

Agricultural Sciences