Uso de protetor físico na semeadura direta para recuperação de áreas degradadas

Authors

  • Luciele Vaz da Silva Instituto Federal Goiano
  • Sue Éllen Ester Queiroz Instituto Federal Goiano
  • Moiseis Quintino da Silva Instituto Federal Goiano
  • Joceline Maria da Costa Soares Instituto Federal Goiano
  • Roger Luciano Rodrigues Fernandes Instituto Federal Goiano

Abstract

A semeadura direta apresenta-se como uma técnica viável economicamente e de fácil implantação para recuperação de áreas degradadas, no entanto problemas na emergência e crescimento inicial das plântulas são fatores limitantes para sua aplicação. Portanto, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência do uso de protetor físico na emergência e crescimento inicial de três espécies arbóreas, Anadenanthera colubrina, Leucaena leucocephala e Sena pendula. Para a proteção das espécies foram utilizados copos plásticos de 400 mL com o fundo removido, sendo que, no período de 45 dias foram avaliadas a emergência, sobrevivência e altura das plântulas. Observou-se que, a utilização de protetor físico não foi significativo para a sobrevivência e emergência das espécies estudadas, porém o crescimento inicial em altura das plantas apresentou melhores resultados nas sementes com protetores quando comparadas às sem proteção, para as espécies L. leucocephala e A. colubrina. Pode-se concluir que, dispensa-se o uso de protetor para aumentar a emergência e sobrevivência das espécies em estudo, mas este é indicado quando deseja-se obter um maior incremento em altura.

Downloads

Download data is not yet available.

Published

2012-06-29

How to Cite

SILVA, L.V. da, QUEIROZ, S. Éllen E., SILVA, M.Q. da, SOARES, J.M. da C. and FERNANDES, R.L.R., 2012. Uso de protetor físico na semeadura direta para recuperação de áreas degradadas . Bioscience Journal [online], vol. 28, no. 3, pp. 366–372. [Accessed1 December 2022]. Available from: https://seer.ufu.br/index.php/biosciencejournal/article/view/12189.

Issue

Section

Agricultural Sciences