O golpe no cinema: Jean Manzon à sombra do Ipes

Autores

  • Ricardo Cardenuto

Resumo

Entre 1962 e 1963, documentários anticomunistas foram produzidos pelo Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (Ipes), grupo de pressão formado por influentes empresários vinculados ao capital estrangeiro e opositores à presidência de João Goulart. Realizados em sua maioria por Jean Manzon, esses filmes celebraram o liberalismo como opção política para o desenvolvimento brasileiro e promoveram um discurso golpista contra o governo democraticamente eleito. O objetivo do artigo é recuperar o processo de produção da cinematografia ipesiana, analisá-la como propaganda ideológica e, utilizando documentos recolhidos em arquivos, demonstrar como aconteceu sua circulação nacional em salas de cinema e na televisão.

PALAVRAS-CHAVE: Cinema de propaganda; Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais; Jean Manzon.

ABSTRACT Between 1962 and 1963, anticommunist documentaries were produced by Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (Ipes), a pressure group constituted by businessmen with social influences, partners of foreign capital and antagonists of the president João Goulart. Mainly directed by Jean Manzon, these movies celebrated liberalism as political option for brazilian development and promoted an offensive discourse in favor of a coup d'etat against the government democratically elected. The objective of the article is to recover the production process of this cinematography, to analyze it as ideological propaganda and, using the documents found in diverse archives, to demonstrate how its national circulation happened in movie theaters and television.

KEYWORDS: Propaganda cinema; Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais; Jean Manzon.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Cardenuto, R. (2010). O golpe no cinema: Jean Manzon à sombra do Ipes. Artcultura, 11(18). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/artcultura/article/view/7305

Edição

Seção

Dossiê: História & Cinedocumentário