Cabeludos e guedelhudos: o rock no Brasil e em Portugal e sua recepção na imprensa (1970/1985)

Autores

  • Paulo Gustavo da Encarnação

Resumo

Este artigo trata histórica e comparativamente de questões relacionadas às representações que foram sendo associadas e incorporadas ao rock e ao universo roqueiro e divulgadas na imprensa brasileira e portuguesa durante os anos 1970 a 1985. Partindo de análises de matérias, entrevistas e reportagens, buscamos demonstrar que, embora a imagem do cabeludo não fizesse parte única e exclusivamente do universo roqueiro, o uso das guedelhas longas acabou se tornando uma representação do círculo do rock. Aliás, a figura do cabeludo e do roqueiro não foi, frequentemente, bem vista no período, muito mais pelas restrições de caráter comportamental do que pela eventual militância político-partidária ou engajada. Além do mais, procuramos refletir sobre a relação entre rock, rebeldia juvenil e atitude roqueira como uma característica marcante do gênero.

Palavras-chave: rock; imprensa; recepção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Gustavo da Encarnação

Doutor em História pela Universidade Estadual Paulista (Unesp/Assis).

Downloads

Publicado

2016-11-30

Como Citar

da Encarnação, P. G. (2016). Cabeludos e guedelhudos: o rock no Brasil e em Portugal e sua recepção na imprensa (1970/1985). Artcultura, 17(31). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/artcultura/article/view/36642

Edição

Seção

Dossiê: História & Rock