João Cândido e a revolta da chibata: disputas e memórias

Autores

  • Claudio Barbosa de Sousa

Resumo

A Revolta da Chibata eclodiu no Rio de Janeiro, em 1910, nas fileiras da Marinha brasileira. Entre seus alvos figuravam o fim dos castigos corporais infligidos aos marujos e a obtenção de melhores soldos. Esse episódio marcante da Primeira República se converteu, sob vários aspectos, num palco de disputas de memórias diversas, quando não inteiramente conflitantes. Neste artigo se procura lançar uma ponte entre ela e seus ecos na área cultural. Dentre outras opções possíveis, privilegiam-se, aqui, num primeiro momento, os sons da revolta na música popular. Na sequência, o tema é recolocado ao se enveredar pela relação estabelecida entre o líder dos marinheiros, João Cândido e a estatuária. Por último, a questão é repensada nas tramas da recriação de um romance.

Palavras-chave: Revolta da Chibata; João Cândido; disputas de memórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudio Barbosa de Sousa

Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás/campus de Anápolis.

Downloads

Publicado

2016-05-06

Como Citar

de Sousa, C. B. (2016). João Cândido e a revolta da chibata: disputas e memórias. Artcultura, 16(29). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/artcultura/article/view/34268

Edição

Seção

Artigos