Limites, impasses e passagens: a história da arte em Carlo Ginzburg

Autores

  • Fernanda Pitta

Resumo


O artigo faz um balanço das reflexões do historiador italiano Carlo Ginzburg sobre a história da arte, sua natureza, características e limites. Procura analisar a contribuição desse estudioso acerca da discussão que envolve: 1) as possibilidades e limites do uso de documentos visuais pelo historiador (e pelo historiador da arte em particular); 2) as relações entre os fenômenos artísticos e extra-artísticos (demais fenômenos econômicos, sociais, políticos e culturais); 3) o significado da forma (e do estilo) e a cientificidade de sua análise.

PALAVRAS-CHAVE: história da arte; Carlo Ginzburg; metodologia.

ABSTRACT

This paper presents a balance of Italian historian Carlo Ginzburg's reflexions on art history, its nature, characteristics and limits. It focuses on the analysis of Ginz-burg's contributions to the issues of: 1) the possibilities and limits of the use of visual documents by the historian (the art historian in particular); 2 the relation bet-ween artistic phenomena and extra-artistic ones (economic, social, political and cultural phenomena) 3) the meaning of form (and style) and the scientificity of its analysis.

KEYWORDS: art history; Carlo Ginzburg; methodology.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2008-11-26

Como Citar

Pitta, F. (2008). Limites, impasses e passagens: a história da arte em Carlo Ginzburg. Artcultura, 9(15). Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/artcultura/article/view/1478

Edição

Seção

Minidossiê Carlo Ginzburg