“O que faço da minha eternidade”?

- O imaginário medieval em A dama e o unicórnio, de Maria Teresa Horta

Autores

  • Ana Maria Lisboa de Mello

DOI:

https://doi.org/10.14393/TES-v3n2-2021-62036

Palavras-chave:

Mito, Imaginário, Unicórnio, Poesia

Resumo

Este artigo aborda o livro A Dama e o Unicórnio, da poeta portuguesa Maria Teresa Horta, cujos poemas dialogam com as tapeçarias medievais do séc. XV, do Museu Nacional da Idade Média, em Paris. Essa análise focaliza a presença e os possíveis significados do mito do unicórnio no imaginário ocidental, bem como a forma como os poemas trabalham a misteriosa relação entre o animal fabuloso e a Dama.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAUDELAIRE, Charles. As flores do mal. Ed. Bilíngue. Trad. De Ivan Junqueira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

CAZENAVE, Michel (dir.) Encyclopedie des symboles. Le Livre de Poche, 1989 (La Pochothèque)

DURAND, Gilbert. A imaginação simbólica. São Paulo: Cultrix, 1988

ERLANDE-BRANDENBURG, Alain. “Étude”. In: La Dame à la Licorne. Paris: Ed. De la Réunion des Musées Nationaux, 1989.

HORTA, Maria Teresa. A Dama e o Unicórnio. Portugal: Dom Quixote, 2013.

JOSSUA, Jean-Pierre. La Licorne: histoire d’un couple. Paris: Ed. Du CERF, 1994.

JUNG, C. G. Psicologia e Alquimia. Petrópolis (RJ): Vozes, 1991, v. XII (Obras Completas de Jung).

JUNG, C. G. Petrópolis Mysterium Coniunctionis (RJ): Vozes, 1991, v. XIV/2 (Obras Completas de Jung).

Downloads

Publicado

2021-06-29

Como Citar

ANA MARIA LISBOA DE MELLO. “O que faço da minha eternidade”? : - O imaginário medieval em A dama e o unicórnio, de Maria Teresa Horta. Téssera, [S. l.], v. 3, n. 2, p. 69–81, 2021. DOI: 10.14393/TES-v3n2-2021-62036. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/tessera/article/view/62036. Acesso em: 17 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos