O Lembrar e o esquecer

memória e identidade em Até que as pedras se tornem mais leves que a água, de Lobo Antunes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/TES-v0n0-2021-60765

Palavras-chave:

Memória, Identidade, Colonialismo

Resumo

O presente ensaio analisa a representação da memória e da identidade no romance Até que as pedras se tornem mais leves que a água (2017), de autoria do escritor português António Lobo Antunes. O romance é constituído sob a tensão entre colonizador e colonizado e entre a dicotomia lembrar e esquecer. A narrativa de António Lobo Antunes aponta o colonialismo português como trauma que fragmenta a identidade e a existência tanto do colonizado, como do colonizador. O romance demonstra que as consequências do imperialismo ainda sobrevivem na sociedade portuguesa contemporânea. A literatura de António Lobo Antunes apresenta-se como discurso de memória que resgata os últimos capítulos do império colonial português.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANGELINI, Paulo Ricardo Kralik. Em nome do pai: ventriloquismo e subalternidade em Até que as pedras se tornem mais leves que água, de António Lobo Antunes. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 29, p. 95-112, jan./jun. 2018.

ANTUNES, António Lobo. Até que as pedras se tornem mais leves que a água. Alfragide: Publicações Dom Quixote, 2017.

ARNAUT, Ana Paula. António Lobo Antunes. Coimbra: Gráfica de Coimbra, 2009.

ARNAUT, Ana Paula. A escrita insatisfeita e inquieta(nte) de António Lobo Antunes. In: CAMMAERT, Felipe. António Lobo Antunes. A arte do romance. Lisboa: Texto Editores, 2011, p. 71-88.

CARDOSO, Norberto do Vale. A Mão-de-Judas: representações da Guerra Colonial em António Lobo Antunes. Lisboa: Texto Editores, 2011.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A,

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, vol. 2, n. 3, p. 3-15, 1989.

SANTOS, Boaventura de Sousa (2001), Entre Próspero e Caliban: Colonialismo, Póscolonialismo e Identidade, in Ramalho, Maria Irene, Ribeiro, António Sousa (orgs.), Entre Ser e Estar: Raízes, Percursos e Discursos da Identidade, Porto: Edições Afrontamento, pp. 23-85.

SILVA, Tomaz. Tadeu; HALL, Stuart; WOODWARD, Katherine. (2004). Identidade e diferença: A perspectiva dos Estudos Culturais. Editora Vozes: Petrópolis

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar?. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

Downloads

Publicado

2021-07-31

Como Citar

PACHECO, P.; VON PFEIL ROMMEL, L. . O Lembrar e o esquecer: memória e identidade em Até que as pedras se tornem mais leves que a água, de Lobo Antunes. Téssera, [S. l.], p. 119–135, 2021. DOI: 10.14393/TES-v0n0-2021-60765. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/tessera/article/view/60765. Acesso em: 16 ago. 2022.